terça-feira, 15 de novembro de 2011

Cansaço ...

no matters what i to do... i'll always dying

terça-feira, 8 de novembro de 2011

In my place- coldplay

In my place, in my place
Were lines that I couldn't change
I was lost, oh yeah
I was lost, I was lost
Crossed lines I shouldn't have crossed
I was lost, oh yeah

Yeah, how long must you wait for it?
Yeah, how long must you pay for it?
Yeah, how long must you wait for it?
For it

I was scared, I was scared
Tired and underprepared
But I waited for it
If you go, if you go
Then Leave me down here on my own
Then I'll wait for you, yeah

Yeah, how long must you wait for it?
Yeah, how long must you pay for it?
Yeah, how long must you wait for it?
For it, yeah

Sing it please, please, please
Come back and sing to me
To me, me
Come on and sing it out, now, now
Come on and sing it out, to me, me
Come back and sing it.

In my place, in my place
Were lines that I couldn't change
I was lost, oh yeah
Oh Yeah

Fix you (Coldplay)

When you try your best, but you don't succeed,
When you get what you want, but not what you need,
When you feel so tired, but you can't sleep
Stuck in reverse

And the tears come streaming down your face
When you lose something you can't replace
When you love someone, but it goes to waste
Could it be worse?

Lights will guide you home
And ignite your bones
And I will try, to fix you

And high up above or down below
When you're too in love to let it go
But if you never try, you'll never know
Just what you're worth.

Lights will guide you home
And ignite your bones
And I will try, to fix you.

Tears stream down your face,
When you lose something you cannot replace
Tears stream down your face
And I...

Tears stream down your face
I promise you I will learn from my mistakes
Tears stream down your face
And I...

Lights will guide you home
And ignite your bones
I will try to fix you..

domingo, 6 de novembro de 2011

The renegade soul


Em meu peito esta um grande vazio é esta solidão
Até agora fui vivendo a vida sem preocupação
E de repente tudo explode na minha cara me desguiando do meu caminho
E eu estou nesta estrada mais uma vez completamente sozinho
Ninguém para me abraçar
Ninguém para me mar
Você sempre esteve tão distante para poder me sentir
E tudo o que eu fiz foi me iludir!


Você, você
é apenas o que grito a noite,
você
só isso que meus olhos veem...
Estou só, nada mais que o vento gelado,
e minha alma, querendo voltar ao começo da bela ilusão que tive,
Não consigo sentir as coisas ao meu redor,
As unicas coisas que ainda restam nesta estrada
sou eu e um coração completamente vazio...

E a saudade é a única coisa que prova que você foi real
Perdoe-me se eu lhe fiz algum mal
Eu só queria ter você perto de mim mais uma vez na minha vida
Eu já procurei inúmeras saídas
Mas você nunca sai do meu coração
Todo o esforço é m vão

Eu já tentei ir, voltar, nessa estrada sem fim,
estou cansado, rastejando,
Aos teus pés,
Se todo esforço é em vão, o que devo fazer?
Lutar ou morrer por você...

Eu e Ele=)
Renan (L)

sábado, 5 de novembro de 2011

Desabafo sem fim

Estou cansado desses assuntos sem rima, sem amor, sem aventura. São só assuntos vãos como o vento que nada sente de verdade. Nem mesmo existe. Isso tudo é de uma mente doentia que está cansada de sofrer com as felicidades desiludidas, com as ilusões estrondosas de alegria, ah, e sorrisos.

Estou cansado de sempre haver apenas um assunto a depor, um assunto que vem a mente, e aqueles olhos, todos aqueles olhos, oh Deus, são todos mentiras não são? Nenhum existiu, eu sei, eu sei, um amor a cada ano para essa alma penada que não cansa de amar, não cansa de sofrer. Tudo inventado.

Pensar em como seria ou como deveria ser. Estou cansado de ver o presente como infortúnio, com medo do futuro. Cansado de ver o passado como solução, cansado desta falta de vocabulário para expressar um pouco do que sinto, cansado desta falta de assunto.

O que preciso está aqui, trancado a sete chaves, algo insubstituível, é simples e bonito, nada de doce e trágico e isso não depende de ninguém, não depende dos olhos que já foram vida, não depende de amor, não necessita de presença e nem desejos sem sentido, preciso ser livre desta vida, ser livre do passado, do presente, e até me livrar do futuro.

Preciso urgentemente, desesperadamente da felicidade desgarrada. Preciso esquecer, pensar, olhar, agarrar, chorar e sorrir, para finalmente estar livre de mim mesma.

[04-11-2011]

2/11/2011

Se desejei ficar sem coração
Eis a prova viva, sobrevivente daquele abismo escuro,
Sangrento,
Que segurava todas suas lágrimas sobre as costas

Se hoje estou vivo,
Se hoje não sinto pelos outros o que um dia sentir,
Não é culpa de ninguém...
É culpa do tempo...
É culpa da solidão...

Mais uma vez desejo aquele gosto amargo,
Aquele frio rastejante,
Aquele adeus improvisado da vida...
Se um dia cai e não me levantei,
Se um dia morri,
Comprovo hoje que morri de amor...

Sinto que voltei ao luto dos que já foram,
Sinto que voltei ao inverno do que nada mais resta.

Esse sou eu, tentando saber o que ainda sou.

19º


Ao meu herói dedico todas as minhas mudanças, sejam elas boas, sejam elas para melhor, pois ele fez parte disso, ele é parte disso, me encorajou, me empurrou, e gritou: Vai e segue em frente! Tu és do mundo.
E fui sem ter medo, e sem me arrepender, não diria que tudo isso foi culpa dele, mas na maioria das coisas, ele foi a minha maior força!
Não nego que sou louca pelo meu herói, ele é o melhor amigo virtual que já tive, é verdade. E a ele dedico toda minha coragem, toda minha força de querer mudar, pois ele é a mudança e a coragem, e não só isso, como todos os dias hoje é só mais um dia normal do ano, mais um dia como todos os dias para dizer, que morro de saudades do tempo que nos falávamos até os passarinhos cantarem, até que nossas caras virassem zumbis, que sinto falta todo dia das suas besteiras...
Mas ele não é só isso, ele é mais e merece muito mais. Merece uma vida toda de felicidade e “dinheiro”. Que continuemos como sempre, nunca deixando um ao outro mesmo que passemos muito tempo sem dar noticias, mas que apareça para dizer: eu estou bem e estou com saudades.
Meu caro amigo não sei dizer o quanto és especial, tu fostes, sem duvida, a minha maior coragem nisso tudo. Eu te amo com tudo que tenho meu herói.
Que seja mais um 1º de novembro feliz.

Para: Hugo Ceregato

You make me wanna die.(2


Meus sonhos voltaram no tempo,
Voltei ao luto, ao escuro, a ti
Era sufocante querer-te por perto,
Agonizante...
Minha alma se perdeu por ti...

Estava acostumado com apenas a solidão
Eu tinha tudo para ser um pouco feliz,
Apareceste,e minha alma deixou tudo, tudo...
O que ganhaste?
Apenas mais uma alma que sofreria por ti por muito tempo

Não meu anjo, não quero lhe ver caindo em suas vergonhas,
Minha alma, em alguma parte sente pena.

Minha calma é lembrar

Quando eu não tinha nada,
Não tinha o teu coração, não tinha teu amor e sofria por não tê-lo
Repito com a alma tão machucada, tão ensangüentada
E tão manchada de lágrimas que escorreram por muito tempo...

Eu mentiria,
Eu roubaria,
Morreria todo dia...
Por ti.

Mas lembro-me dos teus olhos...
Brilhando de amor, sorrindo com a morte
Aqueles que arrancaram minhas asas,
Deixaram-me querendo voar,
Malditos...
Fizeram-me querer morrer.

You make me wanna die.

Alma minha que te partistes


O começo, os finais contigo eram os melhores
Eu sabia que estarias lá por mim
Após todas as tempestades
Sabia que o medo real jamais te afastaria.

Quando eu te perguntava se terias coragem de me deixar
Tu dizias: Não.
Tu és o anjo que não consegui segurar
Nunca deixastes uma lágrima minha cair
Enquanto eu caminhava pelos bosques mais sombrios da vida

Dissestes que estarias lá por mim
Teu conforto fora como segundos,
Depois fostes embora..
Meu caro amigo...
Meu doce dezembro.

Como te amei,
Te amei mais do que todos os amores que tive,
É verdade.
Sinto tua falta...

Ingrato...
Insensível...
Como pôde?

Fostes embora sem ao menos dizer adeus
Deixou tudo para trás
Eu morreria por ti
Deixou-me chorando lagrimas de sangue
Gostaria que voltasses, como eu gostaria que retornasses.

Quando eu dizia estar amando, zombavas de mim
Compartilhávamos sofrimentos distantes, iguais
Eu te protegeria...
Eras meu amigo simples,
Tudo que precisei.

Deixei-te ir embora, culpa minha
Queria ouvir que sentes minha falta
Mas não,
Tu acharias graça, como da ultima vez...

Entre as tempestades e o sangue dos meus olhos
Há o teu rosto estampado, do passado
Querendo me proteger

Entre hoje e o real,
Há teu adeus estampado, do presente
Querendo me matar.

Sem ti hoje, percebo que fui perdendo tudo...
Não tenho teu abraço, teu sorriso, tuas loucuras
Tu eras o único que poderia me tirar do abismo,
Que me deixaria ir...

Sinto-me tão decadente
Vejo que, mesmo demonstrando amores maiores,
Tu foste o que desejei amar.

Hoje, só hoje,
Sinto a liberdade para dizer
Que te amo como sempre amei
Como sinto a tua falta... meu caro amigo.

R.O
28/10/2011

A época


Em que a escuridão era o dia
Meus sonhos afundavam na ilusão
Onde a manhã não trazia luz à minha janela
Existiu o meu mundo,
O meu jardim de flores mortas...

De lá soltava os gritos que ninguém se atreveu a escutar
Voltei finalmente ao tempo...

Em que meu coração não sussurrava os vossos nomes
Não gritava ao amor vão
Meus lábios frios só gritavam um nome: Luto
Minha alma, quente de tanta febre acumulada dizia: Destruição.

Eu só precisava de algumas doses para sobreviver a cada dia
Ganhava sempre mais um passo ao caminho da destruição.

A única lápide que restou naquele jardim...
A qual continuou sozinha todos esses anos,
Mas me fingi de cega, fechei a alma como os olhos
Acreditei que poderia cair de amor...
Não...

Eu volto ao tempo em que adorei morrer...

27/10/2011

Maio de 2008

Lembro-me bem daquele dia, manhã normal, noite conturbada. Era sexta feira, foi o dia em que minha alma se encantou perdidamente por ela, e esta ia e vinha fazendo da realidade a ilusão mais linda, talvez a mais real que tive.

A noite caía, encontrei-me só, num céu de quatro paredes, pensando no que vivi, no que acontecia, ela correspondia, eu continuava sem entender. Meus sonhos se aproximavam cada vez mais do real. Eu não acreditava. E enquanto eu fechava os olhos e pensava no dia “perfeito” que tive...

O telefone toca um pouco antes das lágrimas caírem constantemente...

Acordei gritando o nome dela, sorridente, doidamente ansiosa para encontrá-la... Fiz coisas rotineiras naquele sábado e então fui. E lá estava ela, tão bela quanto o normal. Até que a noticia sem dó da alma chega. Ela iria embora com outro alguém, perdi o que estava no meu coração, eu a perdi e por sorte já tinha desistido de bater na porta do amar e do não sofrer...

Mas não funcionou tentar ser forte, sofri com a distancia, por querer e não poder. Estive só. Eu não queria olhá-la mais. Andei pela rua e encontrei algumas doses pelo chão, bebi todas e não tive pena de mim. Bebi a dose da coragem, disse que a queria e nada importava.
E como uma bela despedida (do inferno) para ficar marcado pela vida inteira... Um beijo, para nunca mais...

Naquele dia, apesar de todas as doses, Frederico me deixou consciente, eu sabia cada passo que dava, o que pensava, tinha certeza do que queria e o que deveria deixar. Joguei-me nos braços daqueles lençóis, ela me olhava das paredes das lindas fotos, como posso esquecer...
Fui embora transbordando de tristeza e de felicidade... Fora um dos sentimentos mais intensos que já tive.

Três anos depois, continuo a pensar, porque ela ainda está aqui? Apesar de toda a distancia, ela está perto aquecendo pelo menos uma vez por mês os meus sonhos, confesso a vocês, é quase impossível esquecer qualquer que seja o detalhe das histórias lindas de quando a conheci.

A.B 20/10/11

Os Quatro momentos

1º Acordo e insisto em dizer: Eu te amo.
Mesmo que não seja o que sinto
Mesmo que não seja momento

Insisto mais uma vez: Eu te amo.
Porque sei que os segundos atraem
O momento que mais preciso do teu abraço

Insisto pela ultima vez: Eu te amo.
Pelo desespero de te perder
Insisto pelo momento
Pela melodia
Por lembranças
Pelo não sentir


2º Digo que é momento
Este é capaz de dizer o quanto sou louca
Por esperar por uma lembrança tua.

3º Dizer que te amo?
Não sei, é muito arriscado.

4º Enfim, insisto, insisto por que vou embora
E o momento acaba...

Dizer que te amo parece até ironia...
(06/10/2011)

Voltar no tempo

Já passaram-se cinco meses... Cinco meses me lamentando, tentando entender o que nunca nem mesmo chegarei perto de entender...

Se isso é tão complexo, como entender o tempo que passa, que lentamente vai quebrando toda a eternidade que criamos e decidimos criar, o tempo era pra ser um amigo que nunca deixa a gente, que sempre ajuda a superar, claro... Ele é assim... Mas o tempo ao mesmo tempo é inimigo, aquele que te acaba e termina deixando a distância de um tempo pro outro...

Entender todas essas palavras jogadas ao vento, é saber o que se passa dentro dessa alma atordoada, de tempo em tempo com lágrima nos olhos procurando no vazio uma alma amiga que nunca te deixaria... Com o peito apertado de tanto tentar entender o que se passou pro pra sempre te deixar ao vento jogado como uma folha livre. Como entender?

Eu gostaria de escrever uma pequena carta. Uma pequena carta, dizendo o que sinto... o que deixei de sentir... tudo.. mas não.. pelo simples fato de que um tempo tão bom, tão perfeito e tão bonito passou com o tempo e com a eternidade que ela me deu.

Alguém.. esse alguém.. ah, o alguém...

Se eu soubesse no passado que tudo iria acabar assim, mesmo assim, eu não teria evitado um só passo. Ensinou-me andar por um caminho de fantasias, de amor, de compreensão, se isso parece um amor como um qualquer, não. Não é.

Era um amor tão bonito quanto a vida que ela me deu. Ela é a prova de que amizade verdadeira é, para todo o sempre, lembrada pela vida inteira.

12/05/2011.