Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2012

The last day of November

Imagem
O tempo que não saia do lugar escuro de onde morava. Normalmente, olhava o sol, as cores nitidamente perfeitas de cada dia e desistia até de botar o pé para fora ou até mesmo de respirar o ar puro.  Era assim todos os dias, não se importava em ser aquilo: "O escondido da vida" esperando o clima e a brisa perfeita.  Em certa manhã de novembro, ouviu ao longe um som, suave e calmo que lhe pesava o coração. As palavras foram se formando dentro da alma, sentiu a necessidade que jamais voltara depois de todos os transtornos do passado, pegou um lápis qualquer da mesa de cabeceira, um papel jogado dentre os diários, e escreveu, quase que perfeitamente, o que aquele som lhe fazia sentir.  E lá estava ele, novamente sentado no chão, cantando junto com a inspiração, tudo que sentia. De repente, veio a sensação de querer ver o dia, independe de como estava. Levantou-se, andou até a porta e abriu-a.    Respirou fundo e percebeu naquele instante, que a inspiração não lhe veio do na…
Imagem
"Vim para te buscar desse abismo de desventura,
Salvar tua alma dos tolos de um mundo real
Vim acalmar-te sem compromisso
Quero-te comigo...
No meu mundo, no teu mundo...
Quero-te comigo sem obrigações, sem tortura.
Para viver, falar e sorrir...
Quero-te salvar do suicídio da vida,
Salvar-te da morte da alma sozinha.
Fazer-te o meu ar...
Quero cuidar das tuas melancolias
Fazer da tua dor, a minha
E não ir embora
Independente do que aconteça,
Esteja comigo,
Não importando o quão doido seja...

Será o nosso mundo
Sendo eterno enquanto durar. "

3 de setembro/ 30 de novembro ~
"And i've lost, who i am and i can't understand why my heart is so broken rejecting your love..."

Aquela tarde de domingo

Imagem
E naquela tarde, doce e confiável,  as palavras começaram a sair, e nada importava. O desespero que havia sentido por dias, agonias em madrugadas e lagrimas sem sentido, havia sumido, e nada importava. Encontrara o guardião que lhe sustentara, de repente o coração se entregou e ela o abraçou com força, cuidou e o fez parar de sangrar, e nada importava. E apesar de todo o escuro que o rondava, de todas as crises, ela esteve ali, firme, forte de sorriso nos lábios, e de toda a alma aberta que lhe oferecera, das palavras tirou a sobrevivência, do aparecer tirou a calma, do olhar tirou o conforto e do sorriso tirou a felicidade e o amor incondicional que jamais sentira, e nada mais importava.
E quando as palavras cessaram, respirou fundo e agradeceu aos céus todos os dias a partir daquela tarde de domingo.
Everything is gonna be alright ... =')
E enquanto o mundo está querendo destruí-lo, Lutar é insuportável, O que resta é extravasar suas forças aos céus,  Sem medo, Sem sentido nem motivo para parar, Dançar?
"Sobreviver" talvez seja:  Lutar Crucificar-se por cada sentimento contido descoberto, Por cada lança retirada do peito.. Por cada sorriso vazio com lágrimas escorrendo sobre a boca..
Mas, "Sobreviver", talvez seja também sentir que ainda há um sol brilhando ali fora e apenas... Respirar.

"I'll dance 
With my hands
Above my head
Like Jesus said

I'm gonna dance
With my hands above my head
Hands together forgive him before he's dead because

I won't cry for you
I won't crucify the things you do
I won't cry for you see
When you're gone I'll still be Bloody Mary"
"This morning is very melancholy for you, my friend, you're falling with the time, with things, but i'll do you survive."