segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Despejo


Despejo minha alma em prantos,
Choro as lágrimas de sangue que sempre chorei,
Nada mudou, logo meu coração não parou
Mas que todas essas lágrimas não voltem,
Pois pelo que chorei, teu presente não trás.

Despejo em prantos a alma que tive,
A alma que vi morrer nas suas mãos
A ultima visão foi a menina dos olhos
Indo embora toda vez que o amor batia na porta..

Ah! se eu pudesse voltar no tempo
E podesse sorrir no rosto do passado,
Falar para o senhor do tempo que ainda morro de saudades
Daquele tempo que não volta nunca mais,
Do tempo em que me deu certeza de não voltar...
O tempo que foi embora mais uma vez...

Ah! se eu pudesse sonhar,
Se eu podesse olhar pro céu,
Aquele céu de quatro paredes,
E pensar naqueles olhos que de tanta paixão estremecia...
Aqueles olhos que pararam de me olhar no dia em que fechei a janela...

Despejo agora toda a saudade,
e choro mais uma vez pela imagem que deixastes,
Se acabou ? respondo-te com a maior sinceridade...
Não.

Sempre muito rápido...

My beautiful little heart


Porque agora eu sei que se eu te perdesse, eu não teria caminho
Não teria esperança,
Agora eu sei por quem matar,
Por quem morrer,
Se acontecesse algo, eu teria corrido mais que poderia correr, gritar,
Por ti eu gritaria até a morte...
Sem ti eu não sou nada, Meu pequeno coração!
Eu te amo mais que minha própria vida.


quarta-feira, 24 de agosto de 2011

I'm sorry

Desculpe por não ser mais nada
Por não ser mais aquilo que aparenta, ou que essa carne representa

Por simplesmente não me dedicar mais,
Por sofrer um pouco mais,
Eu não sou mais um anjo, não sou um caído, mas eu sangro

Desculpe por não sentir mais o que sempre esperou
É só que esperei demais,
Esperei por sua boa vontade de voltar,
Os anos se passaram, eu continuei aqui o tempo inteiro...

Como explicar...
Eu fui, sou viciado em tudo isso,
Em toda minha vida,
Em toda essa dor...

Estou apaixonado esta noite...
Tão louco...
Se tudo voltar eu quero que você...
Me mostre a diferença entre o amor e a morte!

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

The last love song

Die with you

Você faz tudo pra mim
Me protege das sombras
Você me segura quando eu estou caindo
Caça todos os meus sonhos maus

Você me ouve quando eu estou te chamando
Leva embora minhas lágrimas
Meu sangue está envenenado, minha alma está doendo
Eu morrerei por você mais uma vez

Mas uma vez você me machucou e eu não consigo esquecer a dor
As lâminas dentro da minha alma
Dentro da minha alma

Eu tentei te esquecer
Eu tentei te amar
Mas eu sempre te machuco
Eu não posso te esquecer
Eu tenho medo de tocá-la
E eu sempre te vejo chorar

Eu tentei te esquecer
Eu tentei te amar
Mas eu sempre te machuco
Eu não posso te esquecer
Eu tenho medo de tocá-la
E eu sempre te vejo chorar

Você faz tudo pra mim
Me protege das sombras
Você me segura quando eu estou caindo
Caça todos os meus sonhos maus

Você me ouve quando eu estou te chamando
Leva embora minhas lágrimas
Meu sangue é envenenado, minha alma está doendo
Eu morrerei por você mais uma vez

Mas uma vez você me machucou e eu não consigo esquecer a dor
As lâminas dentro da minha alma
Dentro da minha alma

Eu tentei te esquecer
Eu tentei te amar
Mas eu sempre te machuco
Eu não posso te esquecer
Eu tenho medo de tocá-la
E eu sempre te vejo chorar

Deixe-me morrer, deixe-me morrer, deixe-me morrer com você

E eu queria poder morrer com você novamente
E eu queria poder morrer em seus braços novamente
Eu quero morrer com você ...

(Blutengel...)

domingo, 14 de agosto de 2011

Aos velhos tempos


Eu não posso deixar seus olhos...

Esse abismo que me cerca,
não me sinto frágil, acredite...

E essa força, de onde vem?
Está escuro e mal posso enxergar,
Está tudo acabado,
Esta dor, suave...

Olha em volta, veja o que fez,
Não posso nem sequer pensar que tudo aquilo se foi
Eu prometo que vou me prender,
Prometo que não vou procurar,
Porque esta dor suave, acaba virando uma doença que não me larga mais...
É tarde de mais.

Desaba em lágrimas o amor que tive,
Tão longe de mim,
Não resta mais nada,
O meu coração está sangrando, entenda.
Meus olhos ardem, doem.
Não aguentam mais te ver partir...

Mas...Eu não posso deixar os seus olhos...

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

The lost love


When she looked for me, reached my soul. I say, i love you even don't having reason for believe..
She smiled ..
I Love like it was the first time... like it was the lost love.
She saves me... takes me... easy and strong, so far way...
This is important to me. It's important to remember who will never be real... it's a dream. Because if it's true i would be walking for the end of world.


I love you as never loved a vision...

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

The middle of tears


Se eu pudesse dizer o que senti em todas aquelas noites.
Aquelas noites que até os ventos me faziam chorar, em que só o chão podiaa me abraçar, estava só, naquela primeira vez em que te perdi.
Acabei jurando aos céus que não seria feliz novamente. Lembro-me bem de quando voltei para casa, só restava-me vazio e uma noite de insônia. Naqueles momentos eu queria mostrar-lhe o que eu realmente sentia, a minha dedicação para não te perder, minha força de nunca desistir. Resistindo todas as dores e até mesmo as que eu criei. Queria poder acreditar que ia ser feliz sobrevivendo aquela segunda vez em que te perdi.
A canção que me fez levantar para te fazer voltar ao passado, a cada passo eu chorava de saudade e naquela escuridão me vi voltando para o mesmo caminho que começamos, o mesmo que criamos, aquele caminho que não mais voltamos na vez em que realmente te perdi.