domingo, 29 de setembro de 2013

Faltam-me palavras
Faltam-me inspirações, quer dizer... Não faltam-me inspirações, pois o coração está cheio, de fantasminhas, de pequenas coisas. Na verdade o que falta-me agora é, talvez, disposição. Admito que sinto preguiça de escrever minha vida. Mas felizmente, algo me parou neste começo de noite, chamou-me para a frente da tela cheia de histórias, começou a induzir-me à escrita. E aqui estou. Pensando que preciso escrever sobre isso, preciso lembrar isso, preciso pensar nisso de ano em ano. até que o coração esqueça. (Ele não esquecerá)
Como de costume, é domingo. Como de costume estou neutro diante de uma chuva. Como de costume estou pensando mais do que deveria, talvez para ferir, talvez para lembrar, para escutar a melodia do passado. Só que, com algo diferente. Não estou morrendo, não estou pensando em morrer, não estou pensando em machucar-me diante dos fantasminhas, não estou chorando, não estou lamentando, repetindo... não estou morrendo... E por pensar, sinto-me vivo. Estranho!
E num momento, quase devaneio...
Eu pensei nele, o que acontece de ano em ano, não estou pensando com as lágrimas, mas estou pensando que se nesta vida preguiçosa, alguma oportunidade desta alma chegasse perto de mim, simples e com poucas palavras, dissesse: "eu posso voltar?", creio que eu o abraçaria, e diria que sentir a sua falta nunca foi fácil.
 E num momento só meu...
Eu pensei nela, mas não pensando em "como seria se", não pensei nela daquele jeito. Pensei nos seis dias e eu quero, mais do que tudo, que ela seja feliz com o que a vida planejar, estou pensando hoje, em um Domingo, que no futuro, ela esteja comigo, de mãos dadas, sendo o meu anjo, roxo, azul, branco, seja de qualquer cor, como sempre foi. Bem assim como hoje.
Pergunto-me agora, se amadureci diante do Domingo. Se isto é somente algo que criei hoje. Será?
Mas estou saudoso, estou com o peito apertado, mas sentindo que dá sim, para sobreviver com essa saudade, dá para sobreviver vendo o tempo passar, dá pra viver sobrevivendo, sinto-me bem. Tão bem, talvez, por sentir-me tão estranho.

domingo, 8 de setembro de 2013

Autênticos domingos definem-se em entregar-se a melodias desconcertantes de almas, acordar cedo, encarar o céu de maneira bipolar, enxergar o mundo com desprezo mesmo sabendo que ele mesmo irá te salvar mais tarde, já abrir os olhos de peito apertado, não querer estar em nenhum lugar, sentir frio antes do tempo, é amar essa falta de vida, admirar o nublado, não falar nada e sentir tudo, querer saber o que o espelho real reflete, ser bom, ser mau, estar mal e do nada estar bem, sentir que isso é tudo passageiro, entregar-se ao escuro, entregar-se a posição fetal na cama, querer entregar-se a tudo que não deu atenção por tanto tempo, fechar os olhos e se sentir cair, pensar e ter a respiração pesada, sentir arrepios... É como não viver.
O mais espantoso desses momentos é ter certeza que isso tudo acontece e passa em questão de segundos.
  .

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

The Gift - Seether.

Hold me now I need to feel relief
Like I never wanted anything
I suppose I'll let this go and find a reason I'll hold on to
I'm so ashamed of defeat
And I'm out of reason to believe in me
I'm out of trying to get by

I'm so afraid of the gift you give me
I don't belong here and I'm not well
I'm so ashamed of the lie I'm living
Right on the wrong side of it all

I can't face myself when I wake up
And look inside a mirror
I'm so ashamed of that thing
I suppose I'll let it go
Untill I have something more to say for me
I'm so afraid of defeat
And I'm out of reason to believe in me
I'm out of trying to defy

I'm so afraid of the gift you give me
I don't belong here and I'm not well
I'm so ashamed of the lie I'm living
Right on the wrong side of it all

Hold me now I need to feel complete
Like I matter to the one I need

I'm so afraid of the gift you give me
I don't belong here and I'm not well
I'm so ashamed of the lie I'm living
Right on the wrong side of it all

Now I'm ashamed of this
I am so ashamed of this
Now I'm so ashamed of this
I am so ashamed of me..