sábado, 2 de junho de 2012

Saga ♪

Andei depressa para não rever meus passos
Por uma noite tão fugaz que eu nem senti
Tão lancinante, que ao olhar pra trás agora
Só me restam devaneios do que um dia eu vivi

Se eu soubesse que o amor é coisa aguda
Que tão brutal percorre início, meio e fim
Destrincha a alma, corta fundo na espinha
Inebria a garganta, fere a quem quiser ferir

Enquanto andava, maldizendo a poesia
Eu contei a história minha pr´uma noite que rompeu
Virou do avesso, e ao chegar a luz do dia
Tropecei em mais um verso sobre o que o tempo esqueceu

E nessa Saga venho com pedras e brasa
Venho com força, mas sem nunca me esquecer
Que era fácil se perder por entre sonhos
E deixar o coração sangrando até enlouquecer

E era de gozo, uma mentira, uma bobagem
Senti meu peito, atingido, se inflamar
E fui gostando do sabor daquela coisa
Viciando em cada verso que o amor veio trovar

Mas, de repente, uma farpa meio intrusa
Veio cegar minha emoção de suspirar
Se eu soubesse que o amor é coisa assim
Não pegava, não bebia, não deixava embebedar

E agora andando, encharcado de estrelas
Eu cantei a noite inteira pro meu peito sossegar
Me fiz tão forte quanto o escuro do infinito
E tão frágil quanto o brilho da manhã que eu vi chegar

E nessa Saga venho com pedras e brasa
Venho sorrindo, mas sem nunca me esquecer
Que era fácil se perder por entre sonhos
E deixar o coração sangrando até enlouquecer

~FelipeCatto~

sexta-feira, 1 de junho de 2012

If i could hold you one more time

Por muito tempo, ele esteve concertando a alma...
Por esse tempo esteve sem coração, sem febre, sem nenhuma sede de amar..
Resolveu então voltar para casa..

Estava preparado, de pé, equilibrado...
E tu esperavas por ele...
Ele desconfiou, lutou e não conseguiu segurar a emoção, a impulsão, ele te abraçou com os olhos cheio de medo..
O anjo chorou lágrimas que não havia chorado por muito tempo, as mesmas lágrimas de quando o tinha deixado jogado no chão, despedaçado no próprio sangue de ilusões.. Junto aos sonhos de te ter...

E lá estavas pronta para devolver-lhe o passado...

Olhou em teus olhos, a febre não voltou, não houve tristeza ou dor...
Mas sabia que o coração perdido voltaria a bater...
Nada era como antes, não se entregaria ou explodiria de felicidade.. Mas te seguraria se caísse, correria se fosses embora, não te deixaria chorar...
Ele te faria feliz independente do que sentisses...
Mas repito nada será como antes, pelo simples fato de saber que podes ir embora a qualquer momento...

E finalmente as palavras saíram da tua boca, como se lesses todos os pensamentos, como no passado, sem pena, sem dó de um coração que se recuperou:

"Ser equilibrado agora, não te poupará de quase nenhuma dor no futuro..."


"i can't do this without you.
if i could hold you one more time i'd never let you go.
i can't do this without you.
if i could tell you one more time, that i love you."♪