sábado, 5 de novembro de 2011

A época


Em que a escuridão era o dia
Meus sonhos afundavam na ilusão
Onde a manhã não trazia luz à minha janela
Existiu o meu mundo,
O meu jardim de flores mortas...

De lá soltava os gritos que ninguém se atreveu a escutar
Voltei finalmente ao tempo...

Em que meu coração não sussurrava os vossos nomes
Não gritava ao amor vão
Meus lábios frios só gritavam um nome: Luto
Minha alma, quente de tanta febre acumulada dizia: Destruição.

Eu só precisava de algumas doses para sobreviver a cada dia
Ganhava sempre mais um passo ao caminho da destruição.

A única lápide que restou naquele jardim...
A qual continuou sozinha todos esses anos,
Mas me fingi de cega, fechei a alma como os olhos
Acreditei que poderia cair de amor...
Não...

Eu volto ao tempo em que adorei morrer...

27/10/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário