Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2013

Querido diário virtual

Gostaria de nunca esquecer-me que estive lá. Que estive em todos os lugares que quis estar, por onde eu andava em companhias perfeitas, te levando comigo por todos os passos desconhecidos que eu dava. Eu estive contigo. O importante é o que o coração sentiu e enxergou que aquilo existiu. Aquilo existiu...

E por mais que hoje eu esteja com saudades, por mais que tenham caído mil lágrimas quando abri os olhos, penso que por mais que os dias mais indescritíveis tenham passado, sinto-me feliz por ter me sentido vivo, durante os seis dias, em cada hora, em cada segundo. Até agora. Aquilo foi real. E eu estive lá, eu ... estive lá. E isso tudo é indescritível, impensável, insano, surreal até para a cabeça mais aberta e mais pensadora/amadora do mundo...

Eu fiz a trilha sonora de Agosto.
Obrigada.

"E na tua casa beijei tua alma
No apartamento fui teu sentimento
Cuidei da tua vida com amor e com calma
E ainda estou aqui."

Aos 12 meses

Hoje, dia 13, ou 20, sei que desceu-me a noção que nenhum desses dias importam, não importam. Não se assuste se estiver lendo. Eu posso explicar.

 Antes, eu quero escrever sobre ti. Quero que tu faças parte disso aqui, dessa página, e que faça parte não só das coisas indiretas. Essas palavras serão diretas, pela primeira vez.

Talvez eu tenha feito um texto perfeito olhando pela janela ônibus algumas horas atrás. Fora perfeito, mas colocar estas palavras criadas para fora, é quase impossível, porque pelo que entendo de todos esses dias que passaram, é algo indescritível. Tu me ensinastes a amar incondicionalmente.Eu lhe contarei agora o que aconteceu a um ano atrás até hoje.

Ao meu ver, eu era a alma jogada, desleixada, querendo não mudar em nada, desejando ter o mal por perto, o mau humor, e ter a arte de fingir o tempo todo como maior dádiva e arte do meu ser. E aí, tu aparecestes, ao meu ver, o anjo que me estendeu a mão, sem nem mesmo escutar meus berros. Tu estivestes ali, como um…

Querido diário virtual

Voltava para casa, sem pressa como sempre. Estive em local fechado, com a tela do computador ligada, barulho de teclado (e telefone) e as mesmas músicas. Voltava para casa, olhando pela janela do ônibus, quase dormindo. Pensava no que poderia acontecer em alguns dias, logo me distraía e voltava a pensar em nada. Chego em casa e mais tela de computador, fui para o vício, com a esperança que tudo estivesse bem, deparo-me então com  uma publicação da página oficial do Vanguart, lá tinha a letra de uma música, e que letra. Não exitei em ir logo procurar e escutar. De primeira tive medo da melodia não coincidir com tamanha perfeição da letra. E com o medo quase explodindo em mim... Tive a certeza que tudo era perfeito. Sim, tudo. Primeiramente, porque eu não me importava com tristeza alguma enquanto escutava, não tive sequer uma reação, o que vinha era uma explosão inexplicável (não é exagero), me senti bem, mas tão bem, que no momento que vi alguém tropeçando, a primeira coisa que fiz foi …