segunda-feira, 23 de maio de 2011

O que não vai voltar



Chegou o momento de dizer adeus a todas as coisas materiais, a cada palavra repetida dentro de caixas empoeiradas, de lágrima deixada. Lá estava eu, sentado a frente das lembranças, questionando, argumentando, o porquê de elas me deixarem pra trás, já que eu nunca as deixei...

O tempo mudava...

Estava pronto. Cada segundo que passava, eu estava mais decidido a me livrar de todos aqueles sentimentos, perdidos ou não, o que importava? Se agora a água da chuva iria levá-los para bem longe de mim. Esforçarei-me tanto para não me lembrar de nada. Agora o objetivo seria seguir.
A noite não estava limpa, o que lembrava aquele tempo que passava escrevendo todas as poesias, na madrugada, só eu e o silêncio, e colocava ao meu lado o que se passara, ou que sentia, principalmente o que mais perturbava. Coisas simples da vida que me inspiravam e eu corria para escrever...

E eu continuava tão decidido...

No meio de tantos papeis, encontrei uma carta que escrevi anos atrás e dizia que torcia por mim mesmo... Ah, lágrimas...
Só que a vida mudou, eu estou bem e gostaria de dizer isso ao garoto que estava sentado na cama com o coração apertado escrevendo pra mim...
E hoje, olhando para trás, jogo as primeiras folhas ao vento... Estou aqui vendo a força da água finalmente levar o que sempre quis proteger, o que nunca quis me livrar... É o dia de ver os objetos, os cadernos, as confissões, os surtos, o que nunca soltei da minha boca... Se distanciando de mim.

Finalmente tudo vai embora... E meu coração grita para que volte... É torturante... É parte de mim...

Estou abrindo os olhos... Nenhuma água leva e a chuva ainda não veio.

O tempo que passa

Já se passaram cinco meses... Cinco meses me lamentando, tentando entender o que nunca nem mesmo chegarei perto de entender...
Se isso é tão complexo, como entender o tempo que passa que lentamente vai quebrando toda a eternidade que criamos e decidimos criar, o que era pra ser um amigo que nunca deixa a gente, que sempre ajuda a superar. É claro ele é assim... O tempo ao mesmo tempo é inimigo, aquele que começa te acabando e termina deixando a distância de um momento pro outro...
Entender todas essas palavras jogadas ao vento, é saber o que se passa dentro dessa alma atordoada, de dia em dia com lágrima nos olhos procurando no vazio uma alma amiga que nunca te deixaria. Com o peito apertado de tanto tentar entender o que passou, te deixa jogado ao vento como uma folha livre. Como entender?
Eu gostaria de escrever uma pequena carta. Dizendo o que sinto... O que deixei de sentir... Tudo... Mas não... Pelo simples fato de que um tempo tão bom tão perfeito e tão bonito chegou a não mais valer a pena...
Alguém.. Esse alguém... Ah, o alguém...
Se eu soubesse no passado que tudo iria acabar assim, mesmo assim, eu não teria evitado um só passo. Ensinou-me andar por um caminho de fantasias, de amor de compreensão, se isso parece um amor como outro qualquer, não. Não é.
Um amor que soube chegar devastando com todas as dores, ficou pra eliminar as mágoas, e foi embora dizendo que deixaria muitas saudades. Mesmo do jeito de dizer que já foi, quando olhei pro horizonte, e a vi indo embora, algo gritava dentro de mim que nada seria o mesmo, se era pra sempre ou não, nunca foi explicado... Só sei que depois de cinco meses e nove dias, ela volta... Se for pra ficar? Só o tempo pra dar uma resposta que sempre esperei...
Esse foi um dos amores mais lindos que já tive. Apesar de tudo, a alma que por tanto tempo deixou de brilhar, volta com a imensidão das noites em claro, clamando tudo se que passou, e que há muita coisa pra aprender...
Se senti saudade? Senti, senti corroendo minhas veias, pois tudo que senti, chorei, falei foi de longe o mais verdadeiro...

Between love and goodbye



-1-Os primeiros passos, belos sorrisos meigos já tinham lugar guardado...
Mas eu nunca sobreviveria com memórias mortas em meu coração. Sentado no escuro, não posso esquecer, até mesmo agora, percebo o tempo que eu nunca terei. “Se o mundo tivesse mais pessoas como você talvez eu aprendesse a gostar do mundo.” 30/05/2009
-2- Teus passos se tornaram maiores que os meus, uma luz acabara de nascer em teu peito...
E era eu e você e todas as pessoas com nada a fazer, nada a perder, eu estava tropeçando nas palavras que deixou a minha mente girando, eu não sei aonde ir a partir daqui... Que dia é... E em que mês? Este relógio nunca pareceu tão vivo...
22/11/2009 Espero que possa me ouvir, lembro-me claramente...
24/11/2009- A noite que um dia prometeste ser só minha.
Eu te amo...Três pequenas palavras e uma pergunta: por quê? ... Em janeiro eu me lembro, ia te dizer que não tinha dúvida, você era a minha única certeza... 04/01/2010 Tudo pra ti e só pra ti. Eras a vida que eu precisava para passar o caminho inteiro dançando na escuridão... Eu não direi adeus...
-3- Mas... 17/09/2010...
Debaixo das manchas do tempo os sentimentos desaparecem e você é outro alguém e eu ainda estou bem aqui... Tanta coisa vai e você não vê que a insegurança é tudo que você deve aceitar e tentar ser melhor que a vida é muito mais que esquecer...
-4-Lutando contra as minhas palavras... Dezembro, o final de muitos começos...
Isso não é só um adeus, é um não entendo...
Eu não sei se teus ouvidos estão prontos pra me ouvir, pois não te vejo mais, não sei mais como você é... Quis dizer pra você que nada vai fazer voltar o tempo que eu perdi tentando te falar, que eu não consigo respirar com medo de chorar de ouvir você falar, não! Abaixei a cabeça e segui... Onde estiver, espero que esteja feliz e siga o seu caminho.
-5- Hoje e sempre...
Eu sei, tempo leva as coisas pro lugar, fechou a porta e foi embora. Deixou o vazio que essa ausência me traz, me consumindo a cada hora... Sem explicação, faz tanto tempo...
A gente se deu tão bem que o tempo sentiu inveja, ele ficou zangado e decidiu que era melhor ser mais veloz e passar rápido pra mim. Espero o dia que vem pra ver se te vejo e faço o tempo esperar como esperei a eternidade se passar nos dois segundos sem você, agora eu já nem sei se hoje foi anteontem, me perdi lembrando o teu olhar.
Se o tempo se abrir talvez entenda a razão de ser, de não querer sentar pra discutir, de fazer birra toda vez que peço tempo pra me ouvir...
Eu que nunca discuti o amor não vejo como me render, ah, será que o tempo tem tempo pra amar? Ou só me quer tão só? E então se tudo passa em branco eu vou pesar, a cor da minha angústia e no olhar, saber que o tempo vai ter que esperar...
E o tempo engatinhar do jeito que eu sempre quis, distante é devagar, perto passa bem depressa assim... Pra mim, pra mim Laiá, lalaiá...

-6- E a resposta é sim (...)

-7- Nem parece que se passaram dois anos...