sábado, 5 de novembro de 2011

Voltar no tempo

Já passaram-se cinco meses... Cinco meses me lamentando, tentando entender o que nunca nem mesmo chegarei perto de entender...

Se isso é tão complexo, como entender o tempo que passa, que lentamente vai quebrando toda a eternidade que criamos e decidimos criar, o tempo era pra ser um amigo que nunca deixa a gente, que sempre ajuda a superar, claro... Ele é assim... Mas o tempo ao mesmo tempo é inimigo, aquele que te acaba e termina deixando a distância de um tempo pro outro...

Entender todas essas palavras jogadas ao vento, é saber o que se passa dentro dessa alma atordoada, de tempo em tempo com lágrima nos olhos procurando no vazio uma alma amiga que nunca te deixaria... Com o peito apertado de tanto tentar entender o que se passou pro pra sempre te deixar ao vento jogado como uma folha livre. Como entender?

Eu gostaria de escrever uma pequena carta. Uma pequena carta, dizendo o que sinto... o que deixei de sentir... tudo.. mas não.. pelo simples fato de que um tempo tão bom, tão perfeito e tão bonito passou com o tempo e com a eternidade que ela me deu.

Alguém.. esse alguém.. ah, o alguém...

Se eu soubesse no passado que tudo iria acabar assim, mesmo assim, eu não teria evitado um só passo. Ensinou-me andar por um caminho de fantasias, de amor, de compreensão, se isso parece um amor como um qualquer, não. Não é.

Era um amor tão bonito quanto a vida que ela me deu. Ela é a prova de que amizade verdadeira é, para todo o sempre, lembrada pela vida inteira.

12/05/2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário