domingo, 31 de maio de 2009

Pessoas novas



ps:.Belos sorrisos meigos... Talvez me esqueças.
mas não irei esquecer... demora...
tenho musicas que te lembram..
Pessoas novas... entram em nossa vida.. tao repentinamente...
e em tao pouco tempo já tem um lugar pra ficar em nossas vidas ^^

Ainda nao vou esquecer. Tu já tens um lugar guardado.
Em Tao pouco tempo... já te Adoro.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Aonde estás?


Se ao menos falasses que sumirias tão repentinamente... acho que seria melhor eu receber a notícia de estar morrendo...
Sinto-me mais fraca... sinto-me morrendo...
Se ao menos dissesses que está tudo bem... talvez eu viveria por alguns segundos novamente.!

Aonde estás?

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Ember Drive


As lágrimas estão se fortalecendo de novo
Eu não estava preparada para a sua partida
Eu juro que correria esse mundo para salvar você
Eu penso sobre aquele dia
Eu faria qualquer coisa para esquecer a dor
Mas o céu está queimando e as flores estão morrendo
As flores morrem dentro de mim

Eu não posso fazer isso sem você. Se eu pudesse te segurar mais uma vez, eu não deixaria você partir.
Eu não posso fazer isso sem você. Se eu pudesse te dizer mais uma vez... Que eu te amo...

Eu te guardo em meu coração. Anjo, meu guardião. Eu canto essa musica para que você viva pra sempre. Como uma enraivecida tempestade. Como um incrível cavaleiro que nunca dá o braço a torcer... O dia em que você se foi, sempre queimará.
Queimará dentro da minha alma

I close my eyes.. I see your face ...

{Ember drive- Walls Of Jericho}

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Memoria mortas?!


Sinto-me como um brinquedo, o brinquedo que está perdido em sua própria caixa.
Sinto-me como uma criança que perdeu todos seus brinquedos.

Não faz mais sentido continuar e dizer a todos que meu outro “eu” está morrendo. Não é fácil dizer “vamos, temos que seguir em frente”. Meus pés estão colados no chão e não querem sair, eu estou apenas vivendo de memórias mortas, memórias que não me deixam ir... Simples memórias. Não são memórias passadas, estão presentes.
Meus amigos falam, não escuto. É tão fácil falar, mas não é nada fácil sentir. Se sentissem o que sinto, jamais falariam nada.
Minha imaginação me leva a lugares que jamais estarei... Minha imaginação tem cores que jamais verei... Minha mente não está em meio natural, está longe de qualquer coisa.
Sinto-me presa... Presa em meu próprio mundo banhada de ilusões...

Os rios decadentes me cercam, são as minhas lágrimas...
Ainda não entendo o porquê de estar aqui...
Para que vê tantas desgraças, no mundo alheio, em minha vida
Poderia fazer com que várias flores belas nascessem...

Mas não tenho forças... Meros sonhos não me farão levantar...
Apenas me fazem desejar mais... Sofrer mais.

Somos feitos de falhas... Falhas que o tempo pode concertar...
Às vezes não...

Acredito que as pessoas podem mudar... Outras... Não...

Tão obvio era, como pude ser tão enganada, e tola?
Tão obvio tão fácil brincar...
Talvez não me dê valor talvez não me ame... Não sei o que se passa
Ou o que sente ou o que pensa... Ou o que é...
Se é um bicho de sete cabeças nascida para destruir o coração dos outros...
Ou um anjo do qual admiro e quero fazer feliz... Não sei...
Eu deveria tê-la apunhalado, e feito com que aquele ser sofresse na pele pelo que fez...
Mas eu a amo para fazê-la sofrer...
Certas coisas são obvias, outras são possibilidades...
Só o que resta... é acreditar.
Estava completamente nas mãos daquele ser impiedoso...
Um mar de lagrimas não merecidas caíram de meus olhos...

“Conte-me seus sonhos, conte-me suas verdades, eu lhe imploro, pois suas mentiras todas sei”

“Hate-me, kill-me, forget-me... But stay with me”

27/04/09 e 22/05/2009

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Invisivel


Se vista como nós fazemos. Fale como nós fazemos. Pense como nós fazemos. Obedeça
Abaixo do sol frio. Vendo você ir embora. Onde meu terror corre em rios tão decadentes.
Eu sou invisível. Eu estou assim por dias. Dentes em toda a parede. Que nunca vão embora...

Eu sou feita de lâminas e chamas. Eu sou doente e perigosa. Você é minha reza favorita
Por que eu machuco quando eu amo...

Você consegue ver? Eu sou invisível

Abaixo da lua pagã. Mais uma oração morre hoje. Na lâmina de carne e condenação. Calafrios nas chamas infinitas. Como criminosos. A mancha ainda permanece. E eu prometo pra você... Aquilo nunca irá embora.

Contemplo... Prazer em seus olhos... Que os equipamentos explodem...
Você consegue me ver agora?
O feio aceitará. Quando o sangue jovem. Devorar a luz. E um dia, essa dor poderá salvar sua vida.

Vivendo no abrigo. Mentindo aqui vivo. Nós estamos pintando submissão. Através da sombra do céu.
Fogo ao lado. Queimando e brilhando. Perdido no vôo. Em asas douradas derretidas.
Agora você vê?

Você é tão adorável quando chora. Você é tão perfeita quando mente. Você pode ser meu crucifixo... Mantenha-me até me ver morrer...

“Mamãe não chore... Por acreditar nas mentiras dele, não é sua culpa. Ele nos fazia pagar por nossos pecados, então você nos protegeu. E nos salvou...
Eu faço esse juramento, eu te prometo agora...
Ele nunca tocará em nós de novo”

(Otep-Invisible)

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Eu e a Lua


Eu:
Ó lua, me olhas tão triste
Fazendo-me ver escorrer sangue dos teus pequenos olhos invisíveis.

A única que chora junto comigo, a única que mostra sua luz
A única que na presença de sua luz serena...
Me faz escrever estes cinzentos versos,
Versos brancos,
Simples versos que não cansam de insistir no pessimismo.

Sua luz me trás serenidade,
Contigo quero seguir, contigo já não me sinto só, contigo não quero olhar pra trás.
Sob a tua luz, eu serei feliz.

Estas nuvens sombrias que chegam, estas nuvens avermelhadas querem acabar com tua luz... não se preocupe, eu estou contigo... e nosso amigo vento irá expulsa-las.
Não tema por favor, eu não te deixarei. Estás banhada com meu sangue, já faz parte de mim.
Não desista de brilhar, nem de sorrir... ó minha lua.

Lua:
Estás sozinha minha cara? Se estiver... Não dependa do meu brilho, pois dou grandes voltas.
O que sentes? Por que desistir da vida tão facilmente? Por que queres isso?
Pense um pouco em mim, pense o que passo, pense no frio que sinto por está tão sozinha. Posso estar sozinha, perdida e solitária, atrás destas nuvens, mas nunca deixarei de brilhar.

Eu sou a companhia que todos gostam de sentir, de olhar.
Pense na vida que falavas dias atrás, minha cara. Ela é feliz, só não é tão esperançosa como queres.
Lute. Lute...
Só resta acreditar, só tu podes. Por favor, não dependa de mim para se sentir segura ou para sorrir.
Minha luz, é apenas para iluminar as sombras.
Não desista de si mesma, siga seus sonhos...
Tenha fé.

P.s:. Aos poucos me levanto, ainda estou ferida
Mas percebi que ainda não posso desistir.
Ainda sonho, talvez um sentido na vida.
A lua é minha companheira, mas não dependa apenas de alguém ou de alguma coisa para sorrir. Dependa dos próprios passos para ser feliz... Arrisque.

06/05/2009

Para lembrar ...


Sinto a tristeza entrar com tanta facilidade em meu peito, sinto a frieza de uma alma e a tristeza de uma vida.

Minha lamúria
Meu terror que queima a minha alma
Minha mortificação que não me deixa ter calma
Minha eterna fúria que sempre putrifica minha alma.

Meu coração já não bate, apenas palpita, pois vida já não há
A magoa chega, ela quer que eu a veja, sinto cada vez mais dor.
Meu mundo, agora é apenas escuridão. Uma nuvem negra cobre meu céu.
Vejo apenas um tumulo e o extremo terror a minha volta.

Esse tumulo nada mais era que a minha solidão.
Mas só percebi isso quando estava andando entre os mortos.
Perdida num campo de negras rosas.
Ferida por alguns espinhos derramava meu sangue.
Sentia meu espírito me deixar por alguns instantes.
Sentei-me então perto da maior lapide
Ouvi sussurros do vento
Que bradam aquele silencio
Harmonizavam aquele momento
E naquela nobre melodia
Confusa eu me perdia.
Negras sombras já estavam a me envolver.
E meu coração, eu nem sentia mais bater.

Nesses versos que escrevo, acabo mais com a minha pequena vida.
Nada mais que magoa nada mais que solidão, nada mais que depressão.
A tristeza inunda nosso infeliz poema, a felicidade, o sorriso está longe de chegar.
Sonhos e sonhos vão e vem, mas são apenas sonhos nada mais que isso.
Sonho que estou em um mundo melhor, a tristeza é pouca e a escuridão some.
Quando me desce a noção, vejo que nada mudou.
Um Adeus definitivo darei até o dia que não agüentar mais.
Até o dia que todos chorarão por uma alma que se foi.
E jorrando lagrimas de sangue, ninguém as viu, ninguém as sentiu...
Tudo que vivi não posso chamar de vida.
Apenas um passa tempo e aqueles sorrisos, ó meros sorrisos.
Que nada significam nesta vida cheia de dor.
Não... Não agüentarei mais... e um adeus definitivo darei.

23/10/2008 *--*

Apenas um desabafo

Como entender? Por que aquele ser ainda habita meus sonhos. Tão linda sua beleza natural, nada mais é do que uma aparência... Por que tantos pensamentos. Algo novo, mexeu comigo?? Por quê?

Aquilo era apenas uma mentira pra se acreditar, para amar, uma empolgação passageira, e um longo inferno a ser percorrido.

As lágrimas chegam em meus olhos tão facilmente. E eu me pergunto por que? Eu nunca amei. Mas é uma bela lembrança, distante e tão sofredor, o que fazer... não tenho uma luz... apenas as sombras do caminho que percorro.

O passado está presente, o passado corroe minhas veias, ele me queima. E aqueles olhos ao me fixarem por meras imagens... Sinto minha pele rasgar. Sinto-me caindo em um fundo poço, frio e acaba congelando meu coração. Por que pensar em um ser que nunca existiu?
Não ligue... é apenas um desabafo ...