Goodbye little fucking monster.

"Vou ser breve.

Gostaria de dizer que tudo aquilo acabou. Dizer que entrei em mundo de ópio não porque estive com raiva e decadente, mas estive em meio de ópio por estar me divertindo, como se fosse a primeira vez.

Gostaria de dizer que estive bem em saber que estavas se divertindo e sorrindo, e entendi que não era comigo. Dizer que estou levantando e não rastejando.

Gostaria de dizer que acordei com estas palavras na cabeça. Dizer que me sinto grata, dizer que estou aqui, forte pro que der e vier, para ficar do teu lado, só que não mais quebrada, não mais querendo me anestesiar, nem estar longe.

Gostaria que tu soubesses, que apesar de domingo passado ser o mais pesado e o mais real de todos, notei que quebrei tudo o que tinha para ser quebrado, e acabei notando a tua vinda. Tua vinda até mim apesar de tudo. Apesar de eu estar destroçada, ter desejado me afastar, tu segurou minha mão e não me deixou ir, como o autêntico anjo que conheci. Dando-me bom dia todo dia. Falando comigo. Ficando comigo. Como o pilar que me mantém vivo.

Gostaria de dizer, que notar isso tudo foi como recuperar tudo de bom que tinha em mim. Como se eu tivesse voltado a um ano atrás e tivesse te conhecido de novo.
Escutar tua voz sempre é bom. Imaginar estar contigo é feliz sempre.

E a ultima coisa que gostaria que tu soubesses é que sempre vou te amar. Como sempre amei. Independente de tudo.

E não tenho crédito nem para te dar bom dia amanhã de manhã. Mas provavelmente vou estar pensando em ti quando acordar."

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Querido diário virtual

Notória lembrança

Carta jogada ao vento