quinta-feira, 30 de setembro de 2010

O ultimo mês...


O tempo te trouxe até mim, mas logo te fez mudar. Ainda não sei se posso agradecer ou não a ele. Eu não sou capaz de me trancafiar em mim mesmo. Depois de tudo, quero que conheça um pouco de mim.
Eu não sou mais aquele que quer ser insensível, nunca me conheceste ao todo e creio que também não a conheci. Não desejo me estragar, se me conhecesse saberia que não finjo e que não demonstro para que as pessoas possam seguir sem mim..
O ultimo mês, passei olhando as paredes e abri um pote chamado “lembranças” e lá tinha um objeto, o pus pela ultima vez em meu dedo, e lá ficou por um tempo, foi espontâneo, eu chorei e não me torturei, as paredes viraram imagens, eram as tuas, os teus sorrisos, e todos os dias que passamos juntos... O tempo acabou, peguei o objeto e coloquei no pote novamente.
Eu quero que estejas sorrindo como sempre sorriu, e não mais chorando por ficar esperando alguém que não sabe se vai voltar. Eu só queria poder agradecer. E agora posso. Queria agradecer por me ensinar coisas incríveis. Por me ensinar a amar sem ilusões, por me fazer feliz sem explodir, por me fazer ter um relacionamento, por não querer esquecer o sentimento. Por me ensinar a ser mais forte ainda, por me fazer sensível e paciente. Eu agradeço por me fazer crescer, por me observar dormi e me ensinar alguns sinais. Por me fazer ver a alma além da beleza, por me fazer ver o sorriso mais belo, e o olhar mais sincero e apaixonante. Por me fazer conhecer em novembro, um amor que sempre será único. Novembro foi um lindo sonho. Obrigado por me tornar um sonho real. Obrigada, por me ensinar que um Natal pode sim, ser bom.
A única coisa que não me ensinaste bem foi dar adeus, mas eu também agradeço por isso, pois quer dizer sempre que eu quiser, posso te ter perto de mim.
Não sei se serão as ultimas lagrimas, mas serão as ultimas palavras. As palavras são como objetos discretos que tornam meus sentimentos visíveis.
Eu sei que vou sentir muitas saudades e que vai doer, mas também sei que aos poucos eu tenho que te deixar para trás. Quero do fundo da minha alma, que sejas a pessoa mais feliz do mundo.

"Como ás vezes acontece, um momento surgiu... ficou suspenso e permaneceu... por muito mais do que um momento. E o som parou, e o movimento parou... por muito, muito mais do que um momento... E então o momento se foi."


P.s: não há mais o que dizer

( segunda-feira 27 de setembro de 2010)

4 comentários:

  1. Tão lindo, tão tocante q convence.
    Parabéns por ele, o post.

    ResponderExcluir
  2. acho que temos o mesmo estilo

    http://universovonserran.blogspot.com
    devolvo seguidoss e comentados...
    seguindo

    ResponderExcluir
  3. Que seja eterno enquanto dure. No mais, é bom se perder as vezes, caminhar errante e chorar pelo que se foi. Bom vc ter captado isso no post. Parabéns!

    ResponderExcluir