domingo, 14 de agosto de 2011

Aos velhos tempos


Eu não posso deixar seus olhos...

Esse abismo que me cerca,
não me sinto frágil, acredite...

E essa força, de onde vem?
Está escuro e mal posso enxergar,
Está tudo acabado,
Esta dor, suave...

Olha em volta, veja o que fez,
Não posso nem sequer pensar que tudo aquilo se foi
Eu prometo que vou me prender,
Prometo que não vou procurar,
Porque esta dor suave, acaba virando uma doença que não me larga mais...
É tarde de mais.

Desaba em lágrimas o amor que tive,
Tão longe de mim,
Não resta mais nada,
O meu coração está sangrando, entenda.
Meus olhos ardem, doem.
Não aguentam mais te ver partir...

Mas...Eu não posso deixar os seus olhos...

2 comentários:

  1. Que situação, não é? Estar preso a um amor que nos prende entre os momentos de alegria na presença do amado e a dor lancinante de vê-lo partir, porque ele não é nosso!!

    ResponderExcluir
  2. A máxima do amor romântico: amar = sofrer
    Até quando nós vamos viver assim?

    "O seu amor...
    Ame-o e deixe-o livre para amar

    O seu amor...
    Ame-o e deixe-o ir aonde quiser

    O seu amor...
    Ame-o e deixe-o brincar
    Ame-o e deixe-o correr
    Ame-o e deixe-o cansar
    Ame-o e deixe-o dormir em paz

    O seu amor
    Ame-o e deixe-o ser o que ele é.
    Ser o que ele é.
    Gilberto Gil)

    ResponderExcluir