sábado, 26 de março de 2011

Nostalgia


Incrível o poder da lembrança, que mexe com a cabeça e o coração. Sem querer, machuca e deixa a realidade fluir. Destrói os olhares mais fortes, tira e nos mantém no abismo. Aquele escuro e triste abismo. As doses cheias de calma e empolgação, as noites proibidas pensando em ti. O céu que combinava com cada sensação surreal, cada sentimento verdadeiro, a cada desespero uma destruição...
Chegando o amigo de todos que não tem convite para entrar. Cheio de tristeza e felicidade: a saudade.
O trio que se separou pelo tempo, as lágrimas que se foram pelo próprio sofrimento e orgulho. A mente chega a ir a mil anos atrás, lindos anos, que passa rápido, mas não vai embora. A incrível tristeza que volta com facilidade, e fica, faz sentir que voltou no tempo sem perguntas nem respostas.
Branco...
A pura inocência de quem ama, de quem sai de um amor e vai pro outro, que vai contra as marés agitadas da vida para proteger e ficar com seus amigos, na chuva, na noite, no sol e na tempestade... o que nunca se separaria se não fosse o tempo. A saída do tempo escuro para as trevas, um amor começa e vai até seu limite.... "Nunca se arrepender..."
Azul...
Tempos escuros, sem muitas historias. Ida de um amor sem limites, sofrimentos sem sentido e sem fim, a vinda da felicidade instantânea, muitos amigos, lembranças de quantos sorrisos dei, para cada um, por fim, se fosse escolher hoje, não trocaria nem um daqueles que me ouviram e faziam parte do dia a dia por um amor..." Sim... eu me arrependo.."
Peguei o tempo com minhas próprias mãos e o abracei como o melhor amante da vida, como a melhora dança, como o melhor amigo, como o abismo, como o amor... Como todas as lembranças de uma vida com as idas e vindas do mundo... O tempo é como o adeus... Nunca mais volta... Os melhores sempre vão embora, e agora...

Estou no Espírito vulgar...
Sem os melhores, sem amor.. Sem adeus... Eu vou seguindo em frente com o novo tempo que está vindo...

E é simples assim diários cheios de poeira sempre deixam o pobre coração em pânico...

2 comentários:

  1. Amores amigos,Amores Amantes...se verdadeiros,nunca passam,nunca...o tempo é que passa e aprendemos a viver apesar da falta.
    A unica coisa que consola,é saber que se viveu tudo da maneira mais entregue.E isso,nem todos tem para lembrar,e juro...machuca mais do que a saudade.
    Estou seguindo^^
    beijos :)
    www.dancaharah.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Momentos como esses que você descreve não duram para sempre. Temos, pelo menos, a saudade para nos contentarmos.

    ResponderExcluir