segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Um pouco de Alberto Caeiro...


Autor: Fernando Pessoa.
Heterônimo: Alberto Caeiro (o Mestre ingênuo dos heterônimos de Fernando Pessoa// O guardador de rebanhos.)
- Materialista: Pagão.
-Racionalista- Anti- sentimentalista
-Negação da ciência e da filosofia.
-caráter sensorial/ mundo real/ sensível.
- Pensar é sentir. ( sinto, logo existo...)

Foi um poeta ligado à natureza, que despreza e repreende qualquer tipo de pensamento filosófico, afirmando que pensar obstrui a visão ("pensar é estar doente dos olhos"). Proclama-se assim um anti-metafísico. Afirma que, ao pensar, entramos num mundo complexo e problemático onde tudo é incerto e obscuro.
É modernista quando contém a linguagem simples ou cotidiana. No poema, valoriza o caráter sensorial como forma de captar a realidade material. Expressa o materialismo e o racionalismo da poesia de Caeiro, uma vez que o homem não pode buscar nada além do que lhe oferece a natureza. É um poeta de completa simplicidade, e considera que a sensação é a única realidade. Mesmo negando a filosofia, acaba fazendo a sua própria.

X
"Que é vento, e que passa,
E que já passou antes,
E que passará depois.
E a ti o que te diz?"

"Muita cousa mais do que isso.
Fala-me de muitas outras cousas.
De memórias e de saudades
E de cousas que nunca foram."

"Nunca ouviste passar o vento.
O vento só fala do vento.
O que lhe ouviste foi mentira,
E a mentira está em ti."


Alberto Caeiro é uma criança em uma eterna descoberta.

2 comentários:

  1. meu favorito é Alvaro de campos. bjs.

    http://terza-rima.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Se não se importa to seguindo.
    Adorei o estilo do blog.
    Quando entrei tomei um susto que tava ouvindo musica, aí que era no blog.
    E por sinal gostei da música. :)
    Bom gosto o seu por sinal.
    Parabens pelo blog. Adoro Fernando Pessoa. Vou dar uma bizoiada em outros posts. Beijo.

    ResponderExcluir