Um pouco de Alberto Caeiro...


Autor: Fernando Pessoa.
Heterônimo: Alberto Caeiro (o Mestre ingênuo dos heterônimos de Fernando Pessoa// O guardador de rebanhos.)
- Materialista: Pagão.
-Racionalista- Anti- sentimentalista
-Negação da ciência e da filosofia.
-caráter sensorial/ mundo real/ sensível.
- Pensar é sentir. ( sinto, logo existo...)

Foi um poeta ligado à natureza, que despreza e repreende qualquer tipo de pensamento filosófico, afirmando que pensar obstrui a visão ("pensar é estar doente dos olhos"). Proclama-se assim um anti-metafísico. Afirma que, ao pensar, entramos num mundo complexo e problemático onde tudo é incerto e obscuro.
É modernista quando contém a linguagem simples ou cotidiana. No poema, valoriza o caráter sensorial como forma de captar a realidade material. Expressa o materialismo e o racionalismo da poesia de Caeiro, uma vez que o homem não pode buscar nada além do que lhe oferece a natureza. É um poeta de completa simplicidade, e considera que a sensação é a única realidade. Mesmo negando a filosofia, acaba fazendo a sua própria.

X
"Que é vento, e que passa,
E que já passou antes,
E que passará depois.
E a ti o que te diz?"

"Muita cousa mais do que isso.
Fala-me de muitas outras cousas.
De memórias e de saudades
E de cousas que nunca foram."

"Nunca ouviste passar o vento.
O vento só fala do vento.
O que lhe ouviste foi mentira,
E a mentira está em ti."


Alberto Caeiro é uma criança em uma eterna descoberta.

Comentários

  1. meu favorito é Alvaro de campos. bjs.

    http://terza-rima.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Se não se importa to seguindo.
    Adorei o estilo do blog.
    Quando entrei tomei um susto que tava ouvindo musica, aí que era no blog.
    E por sinal gostei da música. :)
    Bom gosto o seu por sinal.
    Parabens pelo blog. Adoro Fernando Pessoa. Vou dar uma bizoiada em outros posts. Beijo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Querido diário virtual

Notória lembrança

Carta jogada ao vento