sexta-feira, 12 de junho de 2009

Olhos


Olha como se nada estivesse acontecendo...
Olha como se nada lhe importasse...
Olha como se não sentisse absolutamente nada.
Como ter um conceito sobre estes lindos olhos?

Olhos negros. Demonstram o nada.
Olhos lindos, não querem demonstrar tristeza.
Como queria poder ler! Como queria sentir!

Solidão? Não, não pode se sentir assim...
Frios como o inverno.
Talvez ali demonstrasse um estado pura de sonolência.
Ou...
Apenas uma linda menina pensando na vida.

Penetrantes... Sinto-os como se queimassem a minha alma.
Fortes... Talvez inexistentes.
Fazem-me pensar, fazem-me ter curiosidade.
O que ela sente? O que pensa?

Como aqueles olhos podem me fazer bem?
Bem ou mal... Não sei.

Olhando para eles... Talvez me sinta normal.
Sinto-me como não fosse eu mesma.
Quando fixo neles, já não quero parar.
Talvez, insubstituíveis.

“ Não existem olhos como os teus.”

3 comentários:

  1. Que lindo, Paula !
    Obrigada, amour !

    Tá lindo mesmo ! ♥

    Flávia.

    ResponderExcluir
  2. Que poema hein???
    os olhos.. os olhos... sempre 'místicos'!!
    muito bom!

    bjsbjs!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Paula!
    Passando pra avisar: tem um selo pra vc no meu blog, vê lá, é rosa, mas é limpinho! rsrsrsrsrs

    abraçoss!!

    ResponderExcluir