Os versos


Quem me dera escrever um verso de felicidade em um poema meu, a tristeza inunda o meu infeliz poema. Tão sofredor o coitadinho, tantas pessoas se identificam com ele, ele acaba não sendo lindo, ele sem querer é um coração que bate bem devagar, quando o lêem, é apenas um eco sombrio. Que nada diz que nada vê e que nada sente.

Os que lêem sentem a presença da magoa, enquanto para mim já se é uma coisa tão normal e triste. Quem o lê sente na pele que a felicidade é necessário no coração de quem escreve.

Os versos, quaisquer que sejam mostram um pedacinho de um coração amargurado como o meu. Eles já são lagrimas, lagrimas que chorei, e que escondidas ficaram por muito tempo.

Os meus versos são como livros, aqueles livros que de magoas são cheios.

Comentários

  1. Também nunca consigo escrever em momentos felizes. Vai entender se falha ou não...

    Bem bacana o texto...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Querido diário virtual

Notória lembrança

Carta jogada ao vento