sábado, 10 de janeiro de 2009

Desejo


Desejos e desejos. São inacabáveis, contínuos, dolorosos, impossíveis. Desejar já sentindo dor a presença de alguém, ter o calor dessa pessoa, desejar presenciar apenas um sorriso e um olhar da pessoa. Distância pode ser uma das piores coisas existentes, mas não faz ninguém parar de sonhar.
Então ele sonha e sonha. E como deseja torná-lo real. É um sonho. Não pode mudar. Desejo realizado em alguns segundos, minutos ou horas. Às vezes, o sonho só faz ter a sensação de qual vai ser o seu humor no dia seguinte. Impulsos repentinos. Encontra a força na alma para fazê-lo parar. E quando não para, está sonhando acordado.
“Como fugir?” ele pensa, mas não tem como fugir, está em sua mente, está memorizado, está simplesmente no fundo do pequeno coração que deseja. “Como saciar um desejo inacabável, quase impossível?” Nunca tem respostas. Nada, nem ninguém podem ajudá-lo. E um constante silêncio toma conta do seu pequeno espaço. Lacrimeja em silêncio.
Os dias passam e simples imagens não acabam com a tal saudade, não acabam com o calor que deseja sentir. Sem respostas, ele se afunda, ele cai.
Por fim, o desejo prevalece continuamente em uma vida. Quanto mais difícil mais deseja. O fim dos desejos chegam. Fracos ou fortes, sempre surgem outros.

Um comentário:

  1. A vida move-se através dos desejos. Nossas atitudes, pensamentos, são todos provenientes de desejos, mesmo que latentes. Como acabar com a base da vida eu não sei. Acho que é suicídio.

    ResponderExcluir