Querido diário virtual

Conhecer alguém não significa que o amor que a gente mais conhece baterá nas rédeas do teu coração e gritará.
O que digo é que pode te dar um novo sorrir, além de novas melodias, novas músicas ou te trazer paz de volta nas músicas que tu deixaste para trás.
Ah, te dá novos pensares. Novas idéias, até mesmo novas teorias. Te dá a chance, momentânea ou não, de ver o mundo com os olhos dele, basta permitir-se enxergar. Sabe, ás vezes também te dá a oportunidade de entender mais o conceito de força de vontade e admiração. É como se você tivesse um livro de bolso que em certos momentos tu abre de bom grado, ele te surpreende e te faz querer ser melhor em vários aspectos em ti, mesmo ele não querendo ser esse tipo de livro.
Por fim, conhecer alguém não significa que obrigatoriamente o amor que a gente mais conhece baterá nas rédeas do teu coração e gritará, claro que pode acontecer, mas, talvez, de certo modo e por sorte te dê espectativas de um novo lar para crer, uma luz para ser e outro caminho para te sorrir.
E a você, livro de bolso, obrigada por me lembrar a velha e linda frase de Fábio Chap : "Alma sem dores mal sente o cheiro das flores. Tem que cair pra perceber como é lindo estar de pé."

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Notória lembrança

Carta jogada ao vento