segunda-feira, 21 de novembro de 2016

About girl interrupted

Engraçado como a vida te retrocede como quem brinca de peteca. Encontro-me com aquela ânsia no peito de quem acabou de voltar para uma época de pura empolgação e loucura.
Não estou alta.
É como se a trilha sonora fizesse com que cada partícula do ar que você respira fosse o mesmo de anos atrás. Você admira aquela música do mesmo jeito, com o mesmo sentimento. Admira novamente um ser dançar em luz negra avermelhada a música do Marilyn Manson.
Você sente a dor que de certo modo, você sempre soube que não existiu. Mas que ainda está ali. Será loucura? Será que o livro ‘Girl interrupted’ faz-me pensar agora que algo daquele tempo ainda existe em mim? Será que a mente está um bololô só? Será que esse sentimento vazio e doloroso de abandono e pensar em ter a obrigação de deixar que me abandonem, é real?
Como quem admira e teme a mente humana, vou deixar não só a vida resolver isso, mas vou aproveitar toda a dor que me presenteou e quem sabe a loucura me leve pra onde eu realmente deva ir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário