sábado, 29 de março de 2014

Texto escondido.

O desconfortável
te atinge...
E me proporciona a forca.

Dos teus sorrisos,
Puros, como da primeira vez,
Soltei lágrimas,
De infidelidade ao meu peito.

Estive traindo as estações do ano,
Meu corpo esteve no inverno o tempo todo,
Enquanto o teu ardia nas outras estações,
Ele sorria, longe do meu.

O tempo que prometemos..
Estamos dentro dele, pela primeira vez,
Sem mencionar..

Repito,
Soltei lágrimas,
De infidelidade ao meu peito...
Que do pranto da saudade me tire das tuas mãos,
Porque me dói...
Nunca será culpa tua

A tua mão só acompanhava a minha.

A jornada de palavras ou lágrimas cessou,
Por tuas costas arderão sem pena de mim.
Sem pena de nós...

Eu sei que será assim daqui por diante..
Que ele seja tudo,
Teu sorriso, teu abraço,
Teu beijo, teu amor...
Teu amigo.

Do meu peito, te desejo a felicidade,
Eu sou teu anjo, agora distante,
Vai ser feliz, vai
Continua voando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário