06.02.2013

O gosto do erro está na boca, e corre pelo corpo.
Não há volta ou justificativa.
E do perigo, tentei salvar as duas almas.

E no abismo as joguei, mais uma vez.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Querido diário virtual

Notória lembrança

Carta jogada ao vento