sábado, 24 de março de 2012

The Art of Write


Peguei algumas folhas para ler esta manhã bem cedinho. Li o diário mais recente que estou terminando de escrever. Antigamente ler um diário era como lamentar-me de tudo que eu era, de tudo que eu fui, de tudo que ainda posso ser, algum tipo de bobo da corte e hoje foi diferente.
Li cada pagina esperando algo errado, algo como todos os diários antigos, mas li com o maior orgulho de mim. Sinto que estou bem mais reflexiva e mil vezes mais madura do que antes. Uma adolescente tentando se entender desesperadamente. E no fim de cada página eu pensava: o que seria de mim se não escrevesse? Como sobreviveria?
Para mim, ficar sem escrever é abafar a alma, dar-lhe uma surra e sufocá-la até a morte. Quando começo com os movimentos da caneta é como se eu estivesse limpando toda a sujeira que insiste permanecer dentro de mim, limpo todo o peso, a desesperança, a melancolia, a raiva, tudo. Quando o momento mais aguardado chega, é como se eu fosse outra pessoa tentando sentir toda a harmonia do mundo dentro do corpo, da cabeça e do coração. Esse breve momento é o ponto final de cada dia vivido, chorado e gritado.
Como sou grata por realizar este ato tão lucrativo para vida...
Sinto-me bem.....

Nenhum comentário:

Postar um comentário