quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Conversas e madrugadas


-Eu tenho um convite a lhe fazer...
- Um convite?
-Sim... Tu me escutarás?
- Sim..
-O convite mexe com toda a tua alma, com todo teu ser, com todo teu coração...
- É perigoso?
-Estás tão equilibrado, não será facilmente derrubado... Quando volto estás tão caído, teu coração tão amargurado, mas hoje não o vejo assim, está tão diferente, o que aconteceu com o teu coração?
- Estou diferente? Como diferente se nunca deixei de ser eu mesmo? Você que não me visita faz muito tempo, sumiu o tempo suficiente para esquecer que eu só era um apaixonado. Não dá para ser sempre o mesmo. Ora você some, e quer que eu esteja o mesmo? Poupe-me disso...
-Não se altere, eu voltei não?
- Sim voltou, fico feliz.
-Eu sei, você fica tão contente em me ver, chego a ouvir o ritmo do teu coração acelerado, incompreendido, confuso... Desculpe ter sumido por muito tempo, sei que não devo cobrar o que deves ser ou não, ou o que deixou de sentir ou não, mas eu voltei, estou aqui por ti.
- Eu estou aqui por ti também, que isso não se repita, não quero que sejas como os outros...
-Eu entendo... O meu convite, aceitas voltar ao passado?
-Como voltar?
-Voltar ao que te fez feliz um dia, que seus sonhos falaram por si e fizeram seus sentimentos continuarem vivos...
- Por que isso agora?
-É um convite...
- Voltar... Seria uma incrível aventura, me faria tão feliz, me faria voar, eu seria feliz e nada mais importaria... Eu poderia ser aquele ser apaixonado que se dedicava até a morte por um amor perdido... Minha resposta? Eu não sei...
-Responda, é só um convite...
- Minha resposta, sempre fora sim...
-Mas, não estás tão certo... O que é isso? Está confuso?
- Infelizmente... Estou tão confuso, tão cansado, tão exposto a isso tudo, mas outros corações não sentem o mesmo... Pensam que não ligo que não sinto que simplesmente se foi... Infelizmente meu caro amigo, estou confuso, pois não agüento mais...
-Seu coração grita, não, não, não! Sua mente não escuta... Pois escute, lhe fará bem, deixe-a ir meu caro, está na hora. Não importa quanto tempo ela ficou. Não importa quanto tempo ela resistiu... Não podes mais seguir... Sabes disso, tão bem quanto eu, sei que dirás sim, sua fraqueza fala mais alto..

-Frederico, não venha com isso agora.. Obrigado por aparecer, estava com saudades... Mas finalmente estás errado... Por isso não luto contra ti agora, minha resposta é não... Pelo simples fato de estar aqui sempre, e nem sequer mexer o pé com medo de perder tudo para sempre... Eu digo não, minha alma diz não, meu coração diz não...

- Eu estou tão orgulhoso...

2 comentários:

  1. Interessante o teu blog e com visual muito tri, voltarei mais tarde pra olhar melhor e comentar!

    Estou seguindo! Segue o meu blog também?

    http://rejanebruck.blogspot.com
    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Paula, seu blog é muito interessante.

    http://cinemaparceirodaeducacao.blogspot.com/

    ResponderExcluir