sábado, 26 de fevereiro de 2011

Coisas de momento.

O tempo que morre pra ser esquecido
O dono da tristeza que vive pra morrer sorrindo
O que chega, vai embora

E só lembrança deixa,
Vive nos olhos de quem chora,
E nos lábios de quem já sorriu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário