sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Água contida (Pitty)

Eu chorando e
Com essa cara toda amassada
Com esse olho em carne viva retalhada
E esse nariz que não para de escorrer

Eu chorando e
Tão previsível quanto a areia no deserto
Mais patético sem ninguém por perto
Tão imenso que não dá mais pra conter

Então sai,
Deixa correr toda água contida
Então sai,
Deixa correr toda magoa velada é água parada e uma hora transborda.

Você pode não entender se às vezes fico pelos cantos
Um tanto quieta recolhida ou mergulhada no meu pranto
É que ele me liberta na hora
No momento em que boto pra fora, o que já não me segue vai embora
E assim eu fico leve...

Nenhum comentário:

Postar um comentário