domingo, 14 de novembro de 2010

The Bridge ..

Estou no fundo do poço e as coisas estão cada vez mais difíceis de enxergar.

E tu dizes: começará a chover, perdoe-me...

Tu vais embora e deixa-me desejando esperança e ai de mim poder viver sem coração.
Nas ruas das cidades destruídas, dentro das florestas sem caminhos, sem volta, não há mais dia, ouço o mar cantando e gritando por estar só.
O céu está vermelho, gostaria que a chuva viesse lavar a alma, mas ela demorará a eternidade.

E tu dizes: Desculpe, mas tenho que deixá-lo para sempre.

Tu foste. Minhas lagrimas estão caindo e em vão tento encontrar caminhos que iluminam. Acredite, dói muito mais estar sozinho.
E tu foste minha luz, mas viver sem ti me fez crescer, me fez forte, estou criando coragem e a cada dia que tu chorar não será como eu chorei.
Eu estou vendo o sol indo embora junto com os teus olhos.

Eu não posso viver...

O que lá na frente brilha como um novo sol? Como pérolas de esperança?
Uma ponte...
Eu me machuquei hoje... Meu foco era na dor.. Tentei matar todas as lembranças da alma, mas eu me lembro de tudo, meu fim.
Tu levaste tempestades, mas trouxestes o frio. Tu foste e eu continuo aqui, até que criei coragem para atravessá-la, o que a chuva não levou, atravessar o sol iluminou...
Eu poderia te machucar, poderia deixá-la no chão... Essa ponte tem um caminho e eu sei. Não posso fazer o mesmo que tu fizeste, pois sei que tudo que conheço um dia, vai embora no fim. Os caminhos estão ali, os mais fáceis e os mais difíceis...
Acredito no tempo, sei que me levará para bem longe. Penso no que finalmente me tornei, minha querida. E se eu pudesse começar tudo de novo, longe deste lugar eu atravessaria como atravessei minha vida.

Eu encontrei um novo lugar, e o sol finalmente chega aos meus olhos... E agora sei que devo viver a vida intensamente, como ela merece ser vivida...
Quando finalmente viver, eu já posso morrer...

Meu ultimo suspiro depois de atravessá-la...
Eu não posso viver... Pensando somente em você, meu querido abismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário