quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Relato de um bom fantasma


“Estou vagando sem caminhos, não há curvas nesta estrada. Antes, estava vendo a felicidade bem longe da tristeza. Só desejo agora alguns segundos de silêncio. Sei que o tempo passa, e esperei tudo passar da ultima vez, mas não mais, eu não vou esperar. O que era minha vida, já não olha meus sonhos. Nada foi perfeito, e não vale mais nada. Talvez as lembranças durem.
Estou voando perdendo meu coração. Minha alma precisa de tempo está tão apertada. A felicidade existe, eu fui prova disso. O que se faz quando se perde um coração por algo que foi tão bonito?
Eu sei e sou forte, vai passar. Fazer uma vida nova será o melhor. Os que acham que vou desistir, não vou, estou seguindo. Eu vou ver a luz outra vez. Não quero mais ter esperanças de algo que não fará mais sentido. Não vou olhar pra trás. Eu já não estou contigo, pensei que tudo fosse diferente, já achava que sabia demais e não precisava de nada. Não, eu estava errado, tudo fora igual, o mês, a dor, a fraqueza, o presente apenas mudou de nome. O passado é minha casa, mas não dá para chamar de lar. É tão vazio, tão frio e tão fora do lugar. O presente se foi, e é o que poderia estar me devastando agora.
Tudo foi culpa minha. Por amar, por abrir os olhos, por achar que tudo era diferente. E eu vou vagando, cada hora que passa, vivo como quem se atrasa, queimando as lembranças. Vou observá-la de longe, e de bem longe eu vou te amar, e esquecer que te amo. Estou jogando tudo pra trás."
Assinado: O fantasma

“E eu vou pra longe de você. Eu já perdi, eu já sofri demais, eu parti... Joguei tudo pra trás. Eu vou fugir pra bem longe daqui. Vou caminhar e ninguém vai me seguir.

"Conheci bem o que essa pequena alma era antes de conhecer as coisas do mundo, suas verdades, suas mentiras, o que verdadeiramente estava se tornando e no que se tornou. Suas atitudes hoje são frutos do que nasceu no passado. Eu não tenho medo, ele não se matará tão cedo...
Como seria se não fosse apenas um sonho? Depois de tanto tempo, para ele nada poderia dar errado... Ele conseguiu viver o que nunca viveu.. Ele tinha tanta coisa para contar, ele só não queria dizer adeus, e só eu sei... Eu existo para duvidar das farsas de um pequeno fantasma. E só eu sei, que não há alguém que possa te amar tanto... Minha cara ”

Assinado: Frederico.

22 de setembro de 2010 ( quarta-feira 20:20)

Nenhum comentário:

Postar um comentário