quarta-feira, 15 de setembro de 2010

E se eu morresse

Se eu morresse agora, seria em vão
Não estaria morrendo por algo importante.
Morreria por querer me sentir livre dessa prisão.
Morreria querendo sentir o calor de uma loucura,
Nunca existente.

Se eu morresse agora, talvez o pra sempre existisse.
E a eternidade teria uma prova concreta
Para sua existência,
O nunca por sua vez também existiria,


Se eu morresse agora, morreria com saudades.
Um bobo lembrando-se do passado que se afogou
Em lagrimas.

Se eu morresse agora, morreria sentindo frio
o inverno, tão doce e tão machucado,
Parece-me sempre que os ruídos dos ventos,
São mentiras de todos que sabem
O que realmente significa o inverno.

Mas, isso tudo é sonho. É surreal
Por tudo na vida, eu quis a morte perto de mim.
O por quê? Está estampado em minha face,
Eu sou egoísta com o mundo, sou egoísta comigo mesmo.
Não vou morrer agora...

Minha vida acaba se resumindo nisso.
No vácuo. Em um cubículo fechado, pois não encontro caminhos.
Se estivesse feliz ou triste, não conseguiria mais defini
Meu intimo está tão transparente como um copo vazio.

Se for solidão, se for medo... Não sei...
Mas se eu morresse agora morreria sozinho.
Por tudo, eu peço, para que Deus não me ajude.
Pois não mereço.

Sou egocêntrico... Sou endividado com minha própria vida...
Ela merecia mais de mim.
Se eu morresse agora...
Morreria me lamentando da vida que não tive.
Se eu morresse... Morreria sem saber dar adeus

Sexta feira, dia 03-09-2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário