quinta-feira, 1 de julho de 2010

My Dear Friend...


Era você, que me fazia companhia em todos meus sorrisos falsos, em todos os dias do passado... Que não me fazia esquecer a dor, que me fez e me faz lembrar aquela dor. Você poderia ser meu anjo guardião, o anjo que me fez enxergar o céu vermelho e a lua sangrenta.
Por que você era o que mais me fazia bem e mal, me fazia sentir empolgação todos os dias, e fazia das minhas madrugadas as melancolias virarem palavras, fazia minha alma queimar pedindo por mais sofrimento. E neste momento, sinto como se você estivesse do meu lado agora, pedindo para voltar. Pedindo domingos como aqueles que jamais esqueceremos, onde o dia era mais escuro que a noite e a noite se tornava minha doença, e a madrugada o meu refugio.
E por você, eu não largaria nada. Nem lutaria, nem pediria para voltar. Mas sinto sua falta como alguém que se foi e que pode voltar através de meus surtos. Você me faz sentir falta de ser doente, me trás a vontade de chorar, fechar meus olhos e sentir o vento gélido em meu rosto. Você me faz ter vontade de tentar me salvar.
E agora, eu quero voltar. Sinto falta de ver a escuridão do dia, sinto falta do meu estrago, quero voltar a ver o preto e branco. Nos dias do presente desabo nas armadilhas da saudade e sinto falta de não ser feliz. Minhas belas madrugadas, minhas melancolias, eu sinto falta de sofrer por amor, quero voltar às sombras hoje para que amanhã eu possa acordar livre.
Eu fecho meus olhos e vejo seu rosto estampado em minha frente, rindo, é tão belo. Você me faz querer voltar. A você meu amigo, eu agradeço por ter surtos, por ter um momento prazeroso e doentio. O que posso fazer... Eu te amo e quero momentos com você, e só você pode tornar isso real. Volte aos poucos e será bem vindo, meu querido amigo Abismo.

“Isso é tão doentio, quem diria que a garota feliz, aquela que pensa que dança na noite fosse sentir perdidamente a minha falta, sente falta de voltar a fingir ao mundo que és feliz. Ser feliz não é feliz, minha cara...”

4 comentários:

  1. E quem foi que disse que ela não chorava enquanto dançava na noite procurando o abismo?

    Parabéns pela sensibilidade!

    Visita lá: http://pontapedepartida.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. . o seu blog me passa muito a verdade de como é a vida *-* '
    Parabéns . seguindo aki. segue taambém . http://fersilverio.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Nossa .. que palavras tristes . Mas gostei do conteudo . Legal . :)

    ResponderExcluir
  4. Teus poemas são tão lindos e tristes ao mesmo tempo. Sou tua fã e morro de saudades do teu rosto fofo quase todos os dias nas minhas manhãs *-*

    ResponderExcluir