quarta-feira, 5 de maio de 2010

Perfectly flawed


Tentei controlar toda raiva que guardei. Um novo surto a cada dia. Não sei mais o que pensar, com tantos pensamentos sem sentido em minha mente.

Acabei mudando aos poucos... Estou recuperada de todas as derrotas, de tudo que perdi, de tudo que tive... Estão em simples fotos, simples versos que não trarão mais nada de volta. Não, eu não quero. É momento. Está morto.
Não me importo.

Pensei no que fui, o que sou e o que vou ser. Rodeada de todas as mentiras do passado, e todas as interrogações do presente e do futuro. Por um momento, não posso controlar o que há dentro de mim, a parte mais estranha, a mais bizarra e a que mais dá medo, que vive escondida no que realmente sou... Em meu rosto... Em meu corpo... Em meus sentimentos... No meu coração.

Já não tenho para onde correr, não posso mais fugir.

Eu finalmente posso me considerar a falha perfeita.


2010-05-03

Nenhum comentário:

Postar um comentário