terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Somos todos horrivelmente fracos


Por uma vida damos tanto, damos tudo. Somos capazes de ir longe e mais além. Somos capazes de sorrir em um cominho inteiro de uma estrada só desgosto. Chegamos a se egoístas com nós mesmos.
Os chamados seres humanos estão sempre repletos de mistérios inacabáveis, cheio de culpa e condenação de menor existência...
“Somos todos horrivelmente fracos”
Fortes ou fracos, não estão a cima nem a baixo. Sim somos todos iguais. Não há reis ou rainhas, se tiver... Isso é tudo.. de absolutamente nada!
“isso passará megalomania”
Jogando uns aos outros no esgoto, chamados de ratos. Apenas por serem humildes. Humildes? Isso não existe. Até onde o poder nos leva?
“Parabéns pela mutilação de uma vida.”
Uma única prova. A única prova. O que sentimos e o que desejamos. Por nós e por outra vida. Escondido atrás de olhos cheios de ódio e pequenos corações partidos.
“terei esperança por você.. Eu orarei por você... Entre a destruição e o luto... “
Amor, sentimento vivo inexplicável. Triste? Muitas vezes.. Mas atrás de suas máscaras emociontes, suas idas e voltas, sempre há felicidade. Pouca? Não. Suficiente para todos os que amaram perdidamente não esquecerem o sentimento que os mantêm vivos.
“eu quero amar... Amar perdidamente.”
E isso.. é que nos mantém iguais.
Continuaremos imóveis enquanto nossas lutas forem sem objetivo.
“esperança é a ultima que morre. Por uma vida ou por um objetivo.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário