segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Depois de algum tempo


As madrugadas finalmente voltaram...
Agora abro os olhos e nada muda,
O céu continua o mesmo,
As pessoas são as mesmas ...

Há alguém contente,
está assim por conseguir superar,
quando abre os olhos,
vê ainda um passado borrado no ar,
nas paredes, no céu...

Há alguém indo embora,
és tu,
estás borrando os olhos de um cego..

Agora dá conta que o passado nunca importou,
Pois só dar apertos no coração, só mostra o caminho do abismo,
Só mostra a felicidade, a qual já não está aqui...
Eu entendo...

Estou finalmente seguindo contra o vento
querendo não me importar mais...

Diga, o que achou de um coração partido?
Vou cantando até o tempo passar,
e cantarei até não restar mais voz,
vou chorar até não haver mais lagrimas,
Vou sangrar até achar outros olhos...

Vou correndo, vou morrendo, mas não sabes...
Eu vou tentar...

domingo, 19 de dezembro de 2010

Vanguart- Para abrir os olhos

Eu devo ir
Não há mais sentido
Nos resta se juntar

Quem sou eu
Já não importa
Nem nunca importou

Que importa é o que te quebra em duas cidades
Que importa é o que te deixa tão transfuso

O que é a dor eu não entendo
Mas sinto apertar de leve o meu peito
Nas madrugadas quando estou a navegar

Faz quarenta dias que eu estou no meu barco a vela
Não me sinto tão sozinho, eu tenho meus amigos
Só aparecem quando eu bebo
Só aparecem quando eu bebo

Só aparecem quando eu bebo
Só aparecem quando eu bebo
Só aparecem quando eu não sou eu
E hoje eu não...

Que importa é o que te faz rachar as velas
Que importa é o que te faz abrir os olhos de manhã

Já é de manhã
Já é de manhã
Já é de manhã
Adeus, já é de manhã
A estrada espera
Já é de manhã

Adeus, já é de manhã
Já é de manhã
Já é de manhã
Já é de manhã
Já é de manhã
Já é de manhã

Vanguart- Robert

O chão não vai cair
nem a distância nos partir
enquanto houver alegria
nos sapatos que ela pisar
fim da manhã
nem sei se é dia
já nem penso depois
de três cigarros
eu ignoro o desabafo
de uma garota do mar
que há de me bastar
meus lábios estão salgados
de saudade
de Robert, Robert, quem vai?
Robert, Robert, quem vai?

Mas nada vai
mais dissolver
a irônia de poder te ver
sem tuas roupas
com teu segredos
já nem penso depois
desolado
só com a distância
de uma garota do mar
que há de me bastar
meus lábios despedaçados
de saudade (uh uh uh)
de saudade (uh uh uh)
de Robert, Robert, Robert
Robert, Robert, Robert
Que o que vem, vem, vai, vai
Mas vem quem vai

Morrer primeiro (uh uh uh)
morrer segundo (uh uh uh)
morrer terceiro (uh uh uh)

Robert, Robert, Robert
Robert, Robert, Robert

Tanta coisa vai
e você não vê
que a insegurança
é tudo que você deve aceitar
tentar ser melhor
que a vida é muito mais que esquecer

Robert, Robert, Robert
quem vai?

Vanguart - Hemisfério

Esquenta o coração refeito
Espero poder te tocar
O que havia entre nós dois foi
Tiroteio e espinho canção
Eu cederia aos teus pecados
Se acaso quisesse chorar

E eu escreveria os mesmos passos
Só me salvo com a arma na mão
Pesa mais que um hemisfério
É usar o teu vestido
Te trazer pra perto
Bordar as tuas iniciais
No cais dos meus braços

Liberdade pra quem queria
Só suas grades e tua avenida
A falta é irresponsável, uh

Se for pra te incendiar
Deramo essa chuva
Divido o rio que eu tiver
Esqueço a cidade que queima depois

Você fingindo ser doloroso
E eu lembrando do céu
Do mesmo abismo que vim, voltarei
Baculejado de dor e de tempestade
De tempestade

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010



People always leave... Always..



Elas mudam, e querendo ou não tens que aceitar que mudem,
é como se te tirassem a força o que sempre foi teu.
e é assim, as pessoas vão embora, elas mudam, e te deixam
com uma única questão como uma estaca... Por quê?


why? =/

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

One tree hill


E agente acaba aprendendo, chorando, e sorrindo... com as pequenas coisas..

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Hp


Eu juro solenemente não fazer nada de bom.


Um novo grande vício ^^

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Never more


-Frederico, me deixa chorar pela última vez?...

-Basta!...Você nunca mais chorará, nunca mais, prometa...
Se dos teus olhos roubarem uma lagrima, não olhe para mim, não me toque, eu irei embora... Pois saiba que para o bem, devo te oferecer um mal necessário.Os papéis estão invertidos. Abra os olhos... passaram-se muitos dias, tempos perdidos, como ousas chorar? Abra os olhos e pela ultima vez. Eu digo, basta... Pois se não queres esquecer o passado, então me esqueça. Pois já não aguento te ver chorar, sofrer, perder, levante-se, o que há de se ver, você nunca viu. Nunca mais se lamente...Não irei mais insistir... Escolha entre mim e...

-Não te perderei. Eu prometo.Pela ultima vez estou abrindo os olhos e prefiro não chorar... Nunca mais.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Rasga os meus versos e crê na esternidade...

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Imperecível- by Luxúria


Com você eu fico frágil pra enxergar
Nos seus olhos a minha incerteza
Por isso eu resolvi encerrar
O nosso prazo, o nosso prazo
Pra ver você sorrindo sem ter que invadir
O seu espaço, o seu espaço

Entre você e eu
Ficou quase tudo intocado
Mesmo que a nossa casa caia de repente
Você vai continuar aqui intacto
Na minha vida
na minha cabeça confusa
A sua vida imprevisível
Deixou a nossa validade invisível
E o meu amor imperecível

Com você a vida é sempre tão estranha
Eu te apavoro mas não posso te enfrentar
Por isso eu resolvi desfazer
o nosso laço, O nosso laço
Pra não deixar o tempo destruir
Nosso frasco lacrado

Entre você e eu
Ficou quase tudo intocado
Mesmo que a nossa casa caia de repente
Você vai continuar aqui intacto
Na minha vida
na minha cabeça confusa
A sua vida imprevisível
Deixou a nossa validade invisível
E o meu amor imperecível

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Eu pude ver o sol desaparecer, do seu rosto, dos seus olhos... Da sua vida.

domingo, 21 de novembro de 2010


You're not coming back...
You're not coming back...

The night


Haverá noites que serão esquecidas, outras lembradas,
Outras que com certeza serão eternas,
Aquelas que terão cicatrizes...
As que não farão sentido...

Serão lembradas segundos antes de a morte dar seu olá
As perfeitas e dançantes palavras que nos levavam com a noite...
Esquecer? Por que esquecer?
São sentimentos... e sentimentos não podem ser esquecidos, meu caro.

Algumas têm nevoas, que gritam que são teus olhos
E teus olhos são escuros agora...
Há tempestades, com o céu avermelhado,
E outras que nos abraçam, como se nós estivéssemos distantes
de tudo que existe...

Gostaria de senti-la
A noite era tão bela, tão perfeita,
Sentir o amor no frio se tornava a melhor coisa a se sentir.

Algumas noites são belas, outras são escuras..
Outras são doces, outras estarão dançando conosco.
Há fases...
Ela te abraçará e te fará carinho enquanto estiveres chorando..

Meu belo anjo, quero que sejas feliz, como sempre mereceste,
Se liberte dos cantos escuros, tenha tudo o que eu nunca te dei,
Agarre o que nunca pôde agarrar,
Ame mais que tudo o que não pôde amar,
Por favor, eu peço, siga e não olha pra trás...


"Aproveite enquanto está de dia meu anjo... Aproveite enquanto ama, não fique sozinha... Pois é difícil ter uma bela noite de olhos fechados, é impossível tê-la perfeita e dançante, sozinho... A noite é boa quando se ama... se torna o frio que queres sentir pelo resto da vida, é a dança que queres levar pelo resto da vida... "

Ps: é somente uma parte de um desabafo escondido que nunca sairá da boca...nem do coração.

20/11/10

sábado, 20 de novembro de 2010

Música

Everything Ends
Slipknot


Você está errado, fodido e supervalorizado
Eu acho que vou ficar doente e é sua culpa
Este é o final de tudo
Você é o final de tudo
Eu não durmo desde que acordei
E vi que minha vida inteira era uma mentira,
Este é o final de tudo
Você é o final de tudo

Pele superficial, eu posso pintar com dor
Eu marco o caminho nos meus braços com o seu desdém
Todo dia é a mesma coisa - eu amo, você odeia
Mas eu acho que não me importo mais...
Conserte meus problemas com a lâmina
Enquanto meus olhos mudam de azul para cinza
Deus, a pior coisa que me aconteceu hoje
Mas eu acho que eu não me importo mais

Meus defeitos são as únicas coisas que restaram puras
Não pode viver, não pode realmente aguentar
Tudo que eu vejo me faz lembrar dela
Deus eu queria não me importar mais
Quanto mais eu toco, menos eu sinto
Eu estou mentindo para mim mesmo que isto não é real
Porque todos estão dando tanta importância?
Eu nunca mais vou me importar

Que porra estou fazendo?
Tem mais alguém restando na minha vida?
Que porra eu estava pensando?
Alguém quer me dizer "estou bem"?
Aonde eu estou indo, porra?
Eu ainda preciso de uma razão para esconder?
Eu sou apenas traído
Eu sou apenas condicionado a morrer

Você está errado, fodido e supervalorizado
Eu acho que vou ficar doente e é sua culpa
Este é o final de tudo
Você é o final de tudo
Eu não durmo desde que acordei
E vi que minha vida inteira era uma mentira, filho da puta
Este é o final de tudo
Você é o final de tudo
Você é o final de tudo!

YOU ARE THE END OF EVERYTHING!!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Caminho para casa e penso...

Se todos os meus dias fossem diferentes... Eu seria capaz de esquecer todo o resto... (L)
Com felicidade, sorrisos e finalmente... Amigos.

Sem rotina, sem pensamentos...

Música


Why Walk On Water When We've Got Boats -by A day to remember

Watch what you say on the stand.
You're running in circles.
I know more than you think, and your words are empty.
Of all the heavenly hosts!
This will all make sense when the records gold.
What's a few more units for your soul?
You're wasting my time, while they're wasting away.
You'll never, you'll never save me.
You've dropped every line, but they don't mean a thing.
You'll never, you'll never save me.
You live your life in the saddest way I've ever seen.
You are the reason I don't believe.
I'm not denying the worth of things unseen,
and this isn't a part of the next big thing.
I'm just dying to show them all that you are.
You are nothing.

Música

Cada Poça Dessa Rua Tem Um Pouco De Minhas Lágrimas- by Fresno

Você vai dizer
Eu não fiz por mal
Eu não quis te magoar
E eu vou dizer
Que seria ideal
Fugir, te abandonar
Pra sempre, pra sempre

Começa a chover
E a lágrima vai se misturar
Com a água que cai do céu
E ao anoitecer
Em vão eu tento encontrar
O que de mim você levou
Pra sempre, pra sempre

Perdoa por eu não poder te perdoar
Dói muito mais em mim não ter a quem amar
Ecoa em mim o silêncio dessa solidão
Pudera eu viver sem coração

Viver sem você
...
Em cada poça dessa rua você vai me ver
Em cada gota dessa chuva você vai sentir minhas lágrimas
E a cada dia da sua vida você vai chorar
Lágrimas sofridas que não vão somar um décimo do que eu sofri
O quanto eu sofri
Eu pude ver o sol desaparecer do seu rosto, dos seus olhos, da sua vida.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Música

Ódio by Luxúria
Durante muito tempo eu construí uma história em cima de um castelo destruído
E pra fugir dessa realidade dura eu já encontrei mais de mil motivos
Agora essas palavras de pessoas santas parecem música nos meus ouvidos
Já que ficou quase insuportável ouvir a voz dos meus olhos aflitos

De tanto chorar, depois que a festa acabar
Se eu não me matar, talvez eu peça ajuda para voltar
De um lugar da onde despenquei feito um anjo que morreu de raiva
Na queda eu me despedacei mas eu já me permito mudar

Eu olhei ao meu redor para reconstruir o meu castelo caído
Pra viver de bons momentos sem ter que ter os olhos escondidos
Já fiz até um testamento que não tem nada, nada, nada escrito
Já que a minha maior herança é a que eu vou levar comigo

Pra evoluir, depois que o terror passar
Se eu não suportar talvez eu peça ajuda pra voltar
De um lugar da onde despenquei feito um anjo que morreu de raiva
Na queda eu me despedacei mas eu já me permito mudar

Meu ódio é...O veneno que eu tomo querendo que o outro morra

terça-feira, 16 de novembro de 2010

E sabe qual é a melhor coisa para se ter em um momento tão engraçado da vida?
é ter certeza e ver com os próprios olhos, que tudo foi apenas um momento e que nada valeu.

agora me pergunto, esse é o pra sempre que todos pediram com lágrima nos olhos?

domingo, 14 de novembro de 2010

The Bridge ..

Estou no fundo do poço e as coisas estão cada vez mais difíceis de enxergar.

E tu dizes: começará a chover, perdoe-me...

Tu vais embora e deixa-me desejando esperança e ai de mim poder viver sem coração.
Nas ruas das cidades destruídas, dentro das florestas sem caminhos, sem volta, não há mais dia, ouço o mar cantando e gritando por estar só.
O céu está vermelho, gostaria que a chuva viesse lavar a alma, mas ela demorará a eternidade.

E tu dizes: Desculpe, mas tenho que deixá-lo para sempre.

Tu foste. Minhas lagrimas estão caindo e em vão tento encontrar caminhos que iluminam. Acredite, dói muito mais estar sozinho.
E tu foste minha luz, mas viver sem ti me fez crescer, me fez forte, estou criando coragem e a cada dia que tu chorar não será como eu chorei.
Eu estou vendo o sol indo embora junto com os teus olhos.

Eu não posso viver...

O que lá na frente brilha como um novo sol? Como pérolas de esperança?
Uma ponte...
Eu me machuquei hoje... Meu foco era na dor.. Tentei matar todas as lembranças da alma, mas eu me lembro de tudo, meu fim.
Tu levaste tempestades, mas trouxestes o frio. Tu foste e eu continuo aqui, até que criei coragem para atravessá-la, o que a chuva não levou, atravessar o sol iluminou...
Eu poderia te machucar, poderia deixá-la no chão... Essa ponte tem um caminho e eu sei. Não posso fazer o mesmo que tu fizeste, pois sei que tudo que conheço um dia, vai embora no fim. Os caminhos estão ali, os mais fáceis e os mais difíceis...
Acredito no tempo, sei que me levará para bem longe. Penso no que finalmente me tornei, minha querida. E se eu pudesse começar tudo de novo, longe deste lugar eu atravessaria como atravessei minha vida.

Eu encontrei um novo lugar, e o sol finalmente chega aos meus olhos... E agora sei que devo viver a vida intensamente, como ela merece ser vivida...
Quando finalmente viver, eu já posso morrer...

Meu ultimo suspiro depois de atravessá-la...
Eu não posso viver... Pensando somente em você, meu querido abismo.

sábado, 13 de novembro de 2010

No momento

Tuas palavras, teus sentimentos, teus olhos não fazem mais sentido,
Que irônia, meu amor,
Agora estou rindo dos teus versos intensos e cheios de carinho.
Agora vejo tuas palavras como mentiras, o que posso fazer?
Esquecestes tão rápido o que sentias, que me faz ter humor,
Tua necessidade insana sempre olhando para trás.
Teu hábito nunca te fez feliz.

Agora, que irônia meu amor,
Estou rindo, pois tua necessidade insana se foi por muito pouco,
Estou rindo pois teu amor foi visto como algo tão grandioso, que acabou em dias,
há como não ri das tuas palavras?

Agora me olhe nos olhos e diga com todas as palavras, que eu te direi o mesmo.
E não mais riremos...
"Um hábito nunca foi uma necessidade."

convenhamos, que nos amamos, sorrimos, mas algo tão grandioso e tão lindo acabara como algo cego e fraco.

Eu ainda sorrio por que comigo o amor existe.
Mas que desgraça, que se tornou amar sozinho.
Mas, eu grito...
Um hábito, foi sim uma necessidade.
E não deixara de ser pois não me permitir olhar sequer o fim.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Acorde

Por que sofrer tanto e não saber o por quê?
Belos versos passados, as palavras brilhavam,
E agora voltam ao escuro sem mais nem menos,
Sem sentido, sem motivo, sem caminho

Não há por que dar adeus a si mesmo
Não há por que se torturar ou ter febre
Por que não gritar pela esperança novamente?
Nunca morre. Nunca morre...!!

Um quarto escuro não me deixa ver a luz do sol
As janelas se fecham, as duvidas ficam e tudo vai embora
Eu sei que a esperança, como sempre, é a ultima que morre...

Mas e quando morre? E quando se vai como todas as outras coisas?

É preciso gritar, berrar e pedir para que volte,
Sem que morra nos olhos,
Não chore, pois a esperança não foi embora...
Acorde, pois ela não depende de quem se foi...

Abra os olhos finalmente,
A esperança depende de quem fica,
Do pobre coração que sobrevive...
Acorde, pois assim é a vida..
E é a única que morre...

Novembro..

São lembranças só minhas, são memórias que ficaram em um coração que guarda como uma flor intocável. É incrível como ainda me faz sorri, ainda me faz querer dançar, me faz querer voltar no tempo, não para ficar, mas sim para ir, sentir e voltar à realidade.
Não desejo voltar, Novembro. Fostes o melhor sentimento que já tive, a melhor lembrança, fostes único. O lugar onde desejei estar todos os dias que se passaram, mesmo estando aparentemente feliz... Sei que vivo muito no teu passado, mas não importa, são desejos que não poderei ter e que já me fizeram ter o costume de apenas lembrar.
A realidade é tão diferente do doce sonho que fostes. Hoje não existe amor, mas existe a compaixão por mim mesmo. Quando estava contigo e em ti, o amor tomava conta de mim, eu só pensava nos sonhos e não no pesadelo que poderia ser um dia. Eu era o humano repleto de paixão e desejos, um pobre sonhador e fui um poeta que fez da própria felicidade o passado que eu mesmo criei.
Novembro, eu me lembrarei da tua face, do teu sentimento, do teu cheiro, da tua áurea, és um passado que ainda desejo lembrar, tu és a lição que devo levar, tu mostrou que para se viver bem e em harmonia com quem ama não é junto, apenas, com os sorrisos, e decorei com exatidão que isso é verdade.
Hoje estou sentindo falta. Não tenho doces sonhos, nem em quem pensar ou amar, estou só e não me importo. Vou vivendo e aprendendo com os erros. Estou me acostumando em falar de solidão, não há mais ilusões, agora sou feliz por saber a verdade. Tu foste um sentimento novo, um amor novo e um refúgio, mas foi embora como todos os meses. Sempre falei que era um sonho, eu acordei, tu acordou, e quando abrimos os olhos estava tudo acabado.
Novembro, novembro, novembro apesar de ter sido só um doce sonho, tu ainda fazes muita falta.
“Quebre as correntes”
06-11-2010

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Hurt

Machuquei a mim mesmo hoje
Pra ver se eu ainda sinto
Eu focalizo a dor
É a única coisa real

A agulha abre um buraco
A velha picada familiar
Tento matá-la de todos os jeitos
Mas eu me lembro de tudo

O que eu me tornei?
Meu doce amigo
Todos que eu conheço vão embora
No final

E você poderia ter tudo isso
Meu império de sujeira

Eu vou deixar você pra baixo
Eu vou fazer você sofrer

Eu uso essa coroa de espinhos
Sentando no meu trono de mentiras
Cheio de pensamentos quebrados
Que eu não posso consertar

Debaixo das manchas do tempo
Os sentimentos desaparecem
Voce é outro alguém
Eu ainda estou bem aqui

(Refrão)
O que eu me tornei?
Meu doce amigo
Todos que eu conheço vão embora
No final

E você poderia ter tudo isso
Meu império de sujeira

Eu vou deixar você pra baixo
Eu vou fazer você sofrer

Se eu pudesse começar de novo
A milhões de milhas daqui
Eu poderia me encontrar
Eu poderia achar um caminho

johnny cash ;)

Pensamentos

Deixo de lado minha raiva, meu ódio,
seguirei a tua voz até que as últimas lagrimas acabem
seguirei, e se um dia talvez pensares em sentir falta, eu irei estar aqui
pois jamais me permitir amar tanto,
se hoje estou fraca, foi por que fui a mais forte.
se hoje estou desistindo, é simplesmente para te deixar ser feliz,
esta é a unica razão para desistir.

hoje estou sorrindo, lembrando do que fostes, do que idealizamos,
estou pensando no amor que sentir, pensar no teu?
Não, não posso, pois estou tão sensibilizada, sou capaz de te idealizar como um novo amor e que podes me querer de volta.

Mas não irei te pedir nada, mas vou continuar te olhando e te olhando de longe,
pra que um dia eu simplesmente perceba que tu está seguindo, e não irá mais voltar.
Existe tudo aquilo que queremos que exista.
eu quiz que tu fosses real, e tu foste, o sonho mais real que já tive,
e abraçando a solidão eu digo que ainda te amo, e não posso esconder.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Novembro...

Sweet dreams... never more.

domingo, 31 de outubro de 2010

Coisas do mundo

Em um pequeno tempo, percebi que há coisas a se aprender, há respostas a serem enxergadas, apesar do esforço me pergunto como tudo poderia estar no lugar em que nem me esforcei para procurar. Aprendi que esperar tanto de alguém é um erro, é como um suicídio. E quando percebes que paraste de esperar tanto, já é tarde demais. São coisas do mundo, são coisas do meu mundo, e lá eu vou superando tudo. Eu quero abraçar o vazio que se abriu em meu peito, quero abraçar a solidão, mas eu vou seguindo.

Milonga

Vamos falar de solidão
Na sua casa nunca mais entrei
Mas decorei com exatidão
Todas as coisas como eu deixei
Versos jogados pelo chão
Lembranças do que não presenciei
Mas decorei com exatidão
Como o passado que eu mesmo criei

E tudo que eu posso oferecer
São minhas palavras pra você
No plágio de uma bela melodia
E tudo que eu quero te dizer
Eu já cansei de escrever
Quero te ver enquanto não é dia

Mas diz porque tu vais embora
Mas diz porque tens tanto medo
Se não acorda cedo
Nem trabalha, estuda ou namora
Mas diz porque chegou a hora
Agora que eu venci meu medo
Te peguei pelos dedos
Pra dançar enquanto o sol demora
Para chegar trazendo aurora
E a luz que cega e me dá medo
E como um torpedo
Eu deslizo, eu vôo num mar de lençois
E cada dobra conta histórias
De muitas delas sinto medo
São muitos enrredos
Enrolados e embriagados como nós
Tão a sós, como nós, tão a sós

Porque você insiste em dizer que ainda existe vida sem você?
(Quando você não esperar vai doer e eu sei como vai doer e vai passar como passou por mim e fazer com que se sinta assim, como eu sinto)
Porque você insiste em dizer que ainda existe vida sem você?
(Como eu vejo como eu vivo como eu não canso de tentar eu sei que vai ouvir, eu sei que vai lembrar, vai rezar pra esquecer, vai pedir pra esquecer, mas eu não vou deixar, eu não vou deixar)

(Porque você insiste em dizer que ainda existe vida sem você?)
E eu não quero lembrar do que eu fui pra você
Uma simples distração pra você esquecer
Eu não quero lembrar que chegamos ao nosso fim
(Porque você insiste em dizer que ainda existe vida sem você?)
Eu não quero lembrar que eu vou acordar
Sabendo que meus olhos não vão te encontrar
Eu não quero lembrar que tudo acabou pra mim

Vou te esquecer, vou te esquecer
Vou te esquecer, vou te esquecer

Porque você insiste em dizer que ainda existe vida

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Ao meu herói

Um herói normal não. O meu verdadeiro herói não vem da história antiga,
Não tem estatuas em praças, não tem seu nome escrito em museus, nem dias feriados a lembrar-lhe o nome.
É um herói de todos os dias da semana. Levanta-se antes do sol, e se recolhe quando a noite se fecha nos seus olhos.
O herói que chega em um dia de tédio e vence, sem fazer nada. Chega, se fortalece. Um herói normal, não, é mais, está pronto para lutar. Às vezes parece que dentro dele vejo tudo congelado, com medo de saber o que está na frente, o que está no futuro, um herói com seus próprios medos e méritos.
Ele é virtual, está longe, mas me salva de perigos da vida, sem fazer nada, apenas com palavras, ele consegue arrancar a saudade.
Hoje eu vejo, que esse herói deixou saudades, em um tempo percebi que ele está no dia a dia, pode não está em praças, mas sua imagem está em mim, pode não vim de uma história antiga, mas vem do passado pra cá deixando rastros de amizade, também pode não ter dias de feriado, mas há dias de conquistas e vitórias, e uma dose de comemoração, eu comemoro por ele.
Esse herói me ensinou a dançar, fez de suas palavras as palavras mais importantes da minha vida, “Se lamentar é besteira”, hoje levo comigo essas palavras.
Salvou o ultimo dia do ano, comemorou comigo, escutou minha filosofia, e cantou até os passarinhos cantarem juntos... Dane-se é ano novo... e a dele “dormi no dia primeiro dá azar”... Ele dormiu 1 hora depois de falar isso. Eu me lembro.
Esse pode não ser um herói de quadrinhos, ou que salvou o mundo ou que lutou contra leões, mas ele é o herói da minha vida, tem imagens, nomes, frases, filosofias no meu coração. Ele é um dançarino da noite, que quer viver a vida de maneira que nunca vi igual, me ensinou ver a vida de outras formas, compartilhou momentos que foram importantes, e hoje, tenho que agradecer, não só por que é um dia especial e normal ao mesmo tempo. Saiba que esse dia está entre todos os dias que te tornas mais importante. Eu tenho razões para escrever, razões pra te amar. Só que agora, mais que nunca, sei que no virtual, tu és o único que realmente trás saudade... Essa é a verdade.
Tu és o meu herói, o melhor amigo, és um dos únicos que não quero esquecer, quero te encontrar e fazer da tua companhia a melhor que já tive.
Te amo, te adoro, te idolatro meu herói... E tudo que eu posso oferecer são só palavras e meu coração.
Feliz dia 1º de Novembro

Para: Hugo Ceregato.

Uma folha de diário perdida...

24-10-2010
Querido diário, felizmente hoje é um dia normal, o que no passado achei que fosse durar pelo resto da vida, durou apenas cinco dias para ser esquecido. "é hora de voltar"... Agora estou me levantando de acontecimentos recentes, mas que também está virando passado. Hoje se lamentar é besteira e faz sentido pra mim. Tudo que tenho a dizer é que a um ano atrás, nesta data, eu estava caída e jamais vou me perdoar por sofrer tanto naquele dia... Permito-me a dizer e a sentir que não valeu à pena. Aquele dia, agora para mim, é como uma folha a ser virada, uma pagina a ser arrancada, é como um livro que deve ser fechado para sempre... Eu aprendi que os sonhos só morrem quando são esquecidos, e eu digo diário, aqueles sonhos morreram há muito tempo, e aquela folha foi arrancada. Ah, e eu estou bem, estou ótima, o que restam daqueles dias são risos... Arrependo-me por fazer aquilo comigo mesmo. Até logo.
P.s: Não tem por que pensar, chorar e muito menos... querer voltar e se condenar por algo que já passou. Passar por tudo uma vez, basta, passar por tudo de novo, é tolice.

24-10-2009 - Folha arrancada...
" Querido diário, são exatamente 22:30, acordei atordoado e cheio de dores pelo corpo, minha cabeça lateja, tenho sinais de fraqueza. Estou morto, estou num inferno sem fim, estou afundando em minhas lágrimas. Nunca pensei sofrer tanto por algo que achei que me fizesse tão bem. Cheguei ao ponto do ridículo, ao ponto de cair em um chão cheio de sonhos que chegaram, ficaram, me enganaram e se foram.
O dia de hoje entrou para a história de uma vida perdida, sei que me lembrarei no ano seguinte e no seguinte... hoje parecia nublado e escuro, mesmo tendo um sol escaldante e brilhante lá fora. Saí sozinho de casa, levei dinheiro, um erro, encontrei com alguns amigos e compramos bebidas de todos os tipos, da mais fraca para uma que era capaz de matar. Eu estava decidido a beber muito e o fiz, bebi doses de todas as bebidas, mas isso não importa certo? Cheguei ao ponto de debruçar-me no chão e chorar me lamentando por ter amado tanto. Estou sóbrio agora, tranqüilo e sentindo o vazio e a realidade é que perdi o anjo que amei, ela se foi, e agora mais calmo enxergo claramente que tudo que vivi foi uma mentira, e fui alertado de todos os lados, meus olhos estavam fechados, e agora entreabertos ainda amo. Um mês atrás, setembro, ela disse adeus, hoje está em outros braços e amando mais que tudo, Amor? que amor? Mas não me importo. Hoje as doses me fizeram companhia. Sei que tenho que mudar, hoje foi a minha derrota, amanhã estarei morta, depois poderei levantar e seguir a vida. Às vezes penso que é melhor viver assim do que superar, querer superar às vezes dói mais do que lembrar.
Confesso que não estava pronto para perdê-la. Procurei pela dor e pelo sofrimento, hoje e todos os dias passados, chorei e por um momento deixo de existir, mas um dia eu nascerei nas minhas próprias lágrimas. Eu preciso deixá-las e tenho certeza que quando tudo isso passar acharei muita coisa que irá me matar, e sentirei ódio. Aprendi que tudo pode acabar quando menos esperamos, todas aquelas palavras, malditas palavras que me fizeram prometer que jamais a deixaria, o anjo prometeu o mesmo e me deixou, só sobram promessas. Ela tem que deixar as lembranças no esquecimento, quero ser esquecido, lamento mas é difícil aceitar que o que era o mais importante está deixando de existir. Que dor de cabeça, o dia foi pesado, agora pouco estava falando com um velho amigo e ele disse com todas as palavras, "se lamentar é besteira", acredite um dia isso fará sentido.
As duas almas zombam de mim, me deixaram no chão como um inseto, mas não as culpo, é a vida. Olharão pro nada e lembrarão-se do momento delas, não existo para nenhuma das duas, isso é bom... Quer dizer que chegou a hora e tenho que esquecê-las. Estou acabado... Estou fraco, e ainda lembro da tarde nublada de quinta feira, em que conheci o anjo, e ali foi a primeira mentira de muitas. E agora enxergo tão perfeitamente. É o fim. Mas eu vou mudar, vou fugir desta derrota. Sorriso na cara e estou de volta. Até logo diário.
P.s: Sofrer tanto por alguém jamais valerá a pena... Esta foi lição.

Gelo

Tudo está congelado, pelo frio dos ventos, pelo som, por tudo. O frio chega agora como se congelasse todos os sentimentos, como se congelasse o tempo. Está passando tudo tão devagar, até mesmo vejo o tempo passar diante dos meus olhos.
O sorriso na face do mais próximo já não me acalma, mas também não devasta, me traz um sentimento não mais igual, me traz novas respostas, novos rostos, como se a ajuda que precisei tanto estivesse aqui, na alma, estampada e de braços abertos esperando que eu a enxergue. Tudo que eu preciso está justamente onde nunca procurei. A prisão finalmente está descongelando.
Ontem eu sofria, sorria com a desgraça, sorria na própria dor e hoje não sinto minha face queimar, tudo que queimava foi embora com o vento gelado. Tudo que desejei falar foi escrito, há papeis jogados pelo chão do quarto e prefiro não mexer, por que foram as ultimas palavras que desejei falar e não repetirei as mesmas palavras.
Eu não vou voltar pra ti, passado. Desculpe mas tudo em ti está um gelo que não pretendo mais descongelar. Eu desisto de ti, desisto de ser o único desgraçado a soltar lagrimas.
Mas não desisto da felicidade por ti. Suas palavras e lembranças não mais chegarão a mim, não irá destruir os sonhos que irei construir, nem me deixar entre todos os papéis procurando respostas.
O gelo dos dias está chegando à alma como se fosse levar tudo de mim, faz frio e já não tenho nada, eu vou te esquecer. Hoje estou levantando o pé para dar o primeiro passo pra seguir em frente. Você não irá me destruir mais.
Mas se eu quiser voltar, não conseguirei quebrar o gelo sem te machucar.


“E assim eu enterro tudo que eu puder amar no seu jardim já que as flores não nasceram desde que você se foi... e só de ver posso sentir toda a dor de sofrer de morrer, o espinho dessa flor que eu mereço receber de ti que já levou tudo que eu tinha pra te dar... Mas nunca se lembrou que devia devolver meu coração.”

Paula Borges 29-10-2010

Friends

O sol já não nascia. Os dias amanheciam cinzentos, destinados à escuridão. Apesar de todos os gritos abafados, nada o ouviu, nada o enxergou. Nada do que esperava o ouviu. Nada..
Alguns comprimidos e um copo de vinho, viajara na própria loucura. Estava deprimido e sem saída, mergulhado em um abismo que construiu a base do passado. Tudo que encontrara nas paredes, eram sonhos interrompidos, era a condenação de um passado sem fim, ele pedia para esquecer, era um sacrifício.
Após algumas horas no chão debruçado sobre os papeis, ouvira uma voz. Uma voz dócil, como a de um anjo, repetia freqüentemente uma frase, até chegar aos ouvidos claramente, "eu estou aqui..."

-Quem és tu? Estou ficando louco?
E a voz gentilmente respondeu...
-não estás louco, estou contigo desde muito tempo. Sou apenas um amigo que estás necessitando ter. O que está acontecendo?
-Como posso confiar em você? Eu nem o vejo, nem o conheço, nem ao menos fala comigo.
-Ora, eu sempre falei ^^ você que não se permitiu ouvir novamente. Sou um amigo, e você confia em mim, estou aqui como único, apenas comigo você vai desabafar, nem outro ser vai ouvir seus gritos, nem uma alma vai se redimir para ajudá-lo, eu estou aqui para fazer isso, para cair junto contigo e tirá-lo desta magoa. Você estava me esperando, confie em mim...
-Como fazes isso, não abra os meus olhos! Deixe-me ficar aqui, talvez assim tudo passe, tudo vá embora como sempre foi... Um dia eu cansarei de sofrer assim.
- Talvez, talvez não. Tu és diferente amigo, tu tens medos que nenhum outro alguém se permite a ter.
- O que o medo tem a ver com isso? Tu, não sabes o que falas. Não fale besteiras a mim, não vês que estou tentando me recuperar de um tempo perdido? De um tempo lindo que não voltará mais? Tu não sabes da minha vida, nem o que sinto, não terás noção do que passo. Deixe-me um pouco sozinho.
-Desta vez não. Não poderei deixá-lo só. Afinal quem o entende? Tu não entendes o que sente. Não sabes nem mais o que és. Estás no escuro, não há respostas. Estás perdido em caminho nenhum. Medo? Sim tens medo, mas não é um medo comum. A resposta para todos os questionamentos... É simples e direta, tu sentes medo de esquecer. Simples, tu não queres deixar o tempo passar, por isso tu queres voltar ao passado, ao estrago, às madrugadas, à destruição, e tu não sabes que voltar a isso tudo, não te trará de volta os sentimentos verdadeiros, tu não voltarás ao passado. Tu pensas demais meu caro, és um desgraçado que insiste em pensar. A desesperança é algo que veio com o tempo, o amor. Pergunte a si mesmo não apenas o que foi aquilo tudo que passou, mas pergunte-se apenas o que és agora...
-O que sou agora? ... o que... Eu não sei o que sou agora... Creio que às vezes sei pelo que sinto e não pelo que realmente sou. Meu deus, eu não sei que sou... >< não sei...Tenho ódio... Ódio de sempre me basear no passado, desejo sempre voltar, viver momentos que nunca existiram, momentos que se foram. Não sei o que sinto... Sei que ser algo que quero é muito fácil. Falar que estou feliz é fácil, sentir e ser é difícil. Dizer que sou triste deveria ser mentira. A cada dia que passa meu humor e minha alma se vão com a noite. Parece-me que quando a noite chega, eu estou indo para o passado. Eu ficava triste muito facilmente por pura empolgação, eu gostava, mas acabou se tornando real e dói, é uma dor leve e amiga que me faz querer sofrer lentamente para que eu não peça que vá embora. Sinto-me perdido e sem respostas, o que sinto, o que sou? Um ser que de manhã acorda sorridente como o sol, ou um ser que fica em paz na tarde, ou que chora como um grande desgraçado querendo a escuridão e o passado na noite? Ajude-me...
- Eu nunca o vi assim... As respostas estão em ti, meu caro, estão longe, eu só via a dor na alma por algo inútil...
-Sempre por alguém certo?
-Sim... E nem um ser merece ter o sofrimento de um humano a não ser ele mesmo... Tu sofres por um passado recente, que te magoou como quem recebe uma facada pelas costas, mas meu amigo, o que importa? Sei o quanto amastes, o quanto vistes a felicidade, e ai estás, se perguntando no que te tornastes com toda a felicidade que passou, e não ganhaste nada, apenas lembranças, lembranças que te condenam por que tens medo de esquecer... Acredite, é melhor esquecer-se do que continuar rastejando pelo caminho de volta. Deixaste tudo para trás por um amor... e que amor foi esse que existiu apenas um, e não os dois...? Sobraram apenas lembranças... só isso e mais nada. A maior felicidade, os amigos, tua vida, perdeste tudo por achar que tudo fora diferente. Mas não... Continuas ai, pensando que o passado é o melhor a se pensar do que tudo pode ser diferente, e tu não queres, queres tudo igual, o que jamais vai acontecer. Conforme-se meu caro, olhe para frente, eu estou contigo, mas continuas completamente só. Passado é passado, você tem asas para concertar, ficar deitado no chão se condenando entre palavras não irá te levantar.


As lágrimas finalmente caíram, olhou os papeis cheios de esperança do passado. Juntou-os e os queimou. O ser desconhecido tocou seu ombro, um calor repentino veio, e se lembrou do tempo em que ainda conversavam, era um amigo não imaginário, mas era o amigo e o amante que sempre esteve ao seu lado...
-obrigado por voltar, amigo.
-não agradeça, sabes que sempre estarei vagando perto de ti.
-Por que esta obsessão pelo passado, meu amigo...?
-Feche os olhos... E me diga o que vê?
-Vejo sorrisos, uma tela, vejo a noite, o céu, alguém dançando na escuridão, pessoas zombando de mim, alguém sofrendo, pessoas sorrindo e sendo felizes longe de mim, ouço vozes, sorrisos, leio em letras grandes que fui um hábito e um sonho que se foi... Como dói, meu amigo... Não quero que vejam que estou caído assim. Não quero que saibam. Não quero que entendam, quero que fiquem longe de mim, até eu melhorar e ...
-Calma, não se precipite... Continue de olhos fechados, agora esqueça tudo, esvazie a mente, seu erro é pensar demais, esqueça os sorrisos, esqueça as pessoas, saiba que elas não merecem mais estar aqui, esqueça tudo... Lembre do seu lugar favorito, um belo lugar, ali entre as arvores, o vento, a tarde, o lago perto das flores. Lembre da noite perfeita, onde o amor fraterno era maior, onde estavam os únicos que podiam te segurar. A noite perfeita com seus dois corações que choraste por amá-los tanto, a lua estava bela e sem nenhuma lembrança. Ali é a sua calma.
-Que bonito, meus amigos estavam lá, os dois melhores, mal os vejo hoje, será que estão bem? Era bom o tempo em que só existia eles, e eu estava rodeado de todos os outros, as companhias, era bom cheio de luz, vou encontrá-los logo, e matar esta saudade. Sei que devo me livrar do passado, e que não devo me condenar tanto por tudo ter dado errado. Eu finalmente ficarei pronto para não me importar mais. Eu era uma criança quando tu apareceste para mim e sempre disseste com todas as letras a mesma frase de sempre...
-vamos deixar passar... Agora sabes que não é apenas o passado recente que existe, é possível esquecê-lo. ^^
-sim, pode ser fácil como nunca imaginei, eu tenho outras coisas para pensar. Pensar também pode ser uma morte lenta, então como sempre deixaremos passar...
-como sempre...
-Sinto falta da tua companhia, agora que estou só preciso de você, seja novamente a minha alma meu amigo... Desculpe por deixá-lo ir... Volte para mim...
-Eu nunca fui embora, eu continuarei aqui.

Ao fim da madrugada, deitou-se e nada mais pensou. O ser continuou ao lado da cama, observando-o dormi até o amanhecer... Por várias noites continuou ali, assim como duas almas que não se separam, como um verdadeiro amigo, o ser nunca mais o deixou.

Paula Borges -2010-10-23- sábado

As canções

As canções me tornaram um sonho. Um hábito. Passageiro, fui como um anjo do céu e do inferno. Fui um pesadelo, fui tudo e fui nada, não me esqueço o quanto me ensinaram a ser forte. À noite e o dia levaram tudo de mim. As canções do dia, eram de ânsia, eu tinha sentimentos alegres, me ensinaram a ter esperança. Eu era a felicidade e a tristeza de mãos dadas.
Os cantos me deixavam acordada, a melodia me fazia delirar. Era o que me deixava mais vivo. O tempo passava, e a cada dia eu escutava um canto novo, se era triste ou feliz, não importava eu só queria sentir o que podiam fazer comigo. As canções ficaram entre o amor e o adeus. Agora, não me importo se ainda estão nos meus ouvidos.
Os sons da noite, eram de desejo, eram também de esperança. A noite era de planos, de sorrisos, era a esperança de um novo dia, era o sonho que me deixava viva. Meus olhos brilhavam a cada sorriso, meu coração palpitava até doer... Não havia pensamentos ruins, as lembranças são boas e não tenho coragem suficiente para fugir...
Não sou um anjo bobo, tenho feridas para cuidar e não vou me enganar...
E as canções acabaram se perdendo por entre os ventos da distancia, me deixaram duvidas, tantos por quês... Elas foram embora e me deixaram só, com sinais de recaídas e dias vazios. O baque final foi apenas achar que as lindas canções da noite e do dia eram diferentes.
Eu fui o sonho que tentou provar que poderia ser real, o anjo que provou que a música poderia durar e o pesadelo que provaram mais uma vez que é muito fácil de ser esquecido.
“Você finalmente parou de lutar por mim.. “

05/10/2010

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

O ultimo mês...


O tempo te trouxe até mim, mas logo te fez mudar. Ainda não sei se posso agradecer ou não a ele. Eu não sou capaz de me trancafiar em mim mesmo. Depois de tudo, quero que conheça um pouco de mim.
Eu não sou mais aquele que quer ser insensível, nunca me conheceste ao todo e creio que também não a conheci. Não desejo me estragar, se me conhecesse saberia que não finjo e que não demonstro para que as pessoas possam seguir sem mim..
O ultimo mês, passei olhando as paredes e abri um pote chamado “lembranças” e lá tinha um objeto, o pus pela ultima vez em meu dedo, e lá ficou por um tempo, foi espontâneo, eu chorei e não me torturei, as paredes viraram imagens, eram as tuas, os teus sorrisos, e todos os dias que passamos juntos... O tempo acabou, peguei o objeto e coloquei no pote novamente.
Eu quero que estejas sorrindo como sempre sorriu, e não mais chorando por ficar esperando alguém que não sabe se vai voltar. Eu só queria poder agradecer. E agora posso. Queria agradecer por me ensinar coisas incríveis. Por me ensinar a amar sem ilusões, por me fazer feliz sem explodir, por me fazer ter um relacionamento, por não querer esquecer o sentimento. Por me ensinar a ser mais forte ainda, por me fazer sensível e paciente. Eu agradeço por me fazer crescer, por me observar dormi e me ensinar alguns sinais. Por me fazer ver a alma além da beleza, por me fazer ver o sorriso mais belo, e o olhar mais sincero e apaixonante. Por me fazer conhecer em novembro, um amor que sempre será único. Novembro foi um lindo sonho. Obrigado por me tornar um sonho real. Obrigada, por me ensinar que um Natal pode sim, ser bom.
A única coisa que não me ensinaste bem foi dar adeus, mas eu também agradeço por isso, pois quer dizer sempre que eu quiser, posso te ter perto de mim.
Não sei se serão as ultimas lagrimas, mas serão as ultimas palavras. As palavras são como objetos discretos que tornam meus sentimentos visíveis.
Eu sei que vou sentir muitas saudades e que vai doer, mas também sei que aos poucos eu tenho que te deixar para trás. Quero do fundo da minha alma, que sejas a pessoa mais feliz do mundo.

"Como ás vezes acontece, um momento surgiu... ficou suspenso e permaneceu... por muito mais do que um momento. E o som parou, e o movimento parou... por muito, muito mais do que um momento... E então o momento se foi."


P.s: não há mais o que dizer

( segunda-feira 27 de setembro de 2010)

Eu sou assim

Mesmo que eu diga que não quero mais sentir nada, estou errada. Eu cansei de sentir, mas não posso negar tudo que sinto. Eu sou amante da vida, mesmo que ela não seja esperançosa, e que na maioria das vezes não dê nada certo, não importa, pois sei que ela me traz felicidade e coisas que jamais vivi.
Eu gosto de amar perdidamente, mesmo que no final apenas eu tenha que lamentar, ou fugir, ou até mesmo levantar. Mesmo que seja tão difícil, é bom sentir algo que será único pela vida inteira. Eu amo amar, amo sentir a felicidade, amo sentir a escuridão, amo sofrer e ter minha alma apertada por amar alguém, e nem que eu queira jamais vou mudar, se eu mudar, fui para outra vida que se perdeu por sofrer tanto nesta.
No passado eu era acostumada a sofrer só, mas então, reclamei tanto por estar acostumada sentir a solidão por perto, que esqueci que estava me habituando a ter alguém sempre perto de mim, e agora, reclamo e choro por não sentir a presença de alguém.
Se eu duvidar, eu amarei de novo, não desisto tão fácil, vou querer reconquistar com lágrimas nos olhos, se me chamarem de masoquista, de torturadora, de louca, direi que sou assim, e que gosto de ser assim, já não gosto de sentir a solidão mesmo sendo tão amiga dela. Há momentos de felicidades, há momentos de tristeza, e neste momento estou amando e não posso me condenar por isso, mesmo tendo que obrigatoriamente esquecer, estou feliz e estou triste e não me estranho.
Tudo isso é por minha causa, sou a capa da tristeza que sinto no meu coração, mas também, sou a capa da felicidade que sempre vai se levantar e seguir. Este é o meu normal, eu posso chorar, berrar, ter raiva, sofrer, mas passa, no fim eu sou a amante que luta para encontrar alguém que possa habitar os meus sonhos, para que eu possa amar e fazer sorrir, e principalmente ter lembranças, que com certeza, mesmo que o intimo gritasse para esquecer... Não vou, ainda lutarei para lembrar... Eu com certeza sentirei muita falta do que acabou de passar...

Eu sou capa, sou verdadeira. Eu sou assim.

“E desde quando você acha que sabe melhor de mim do que eu? Existem tantas coisas que eu vivi que você nunca viveu! Eu procurei, jurei que não iria mais falar de mim, mas eu sou assim, eu tenho tanta historia pra contar.”

– 23 de setembro de 2010 quinta-feira

Relato de um bom fantasma


“Estou vagando sem caminhos, não há curvas nesta estrada. Antes, estava vendo a felicidade bem longe da tristeza. Só desejo agora alguns segundos de silêncio. Sei que o tempo passa, e esperei tudo passar da ultima vez, mas não mais, eu não vou esperar. O que era minha vida, já não olha meus sonhos. Nada foi perfeito, e não vale mais nada. Talvez as lembranças durem.
Estou voando perdendo meu coração. Minha alma precisa de tempo está tão apertada. A felicidade existe, eu fui prova disso. O que se faz quando se perde um coração por algo que foi tão bonito?
Eu sei e sou forte, vai passar. Fazer uma vida nova será o melhor. Os que acham que vou desistir, não vou, estou seguindo. Eu vou ver a luz outra vez. Não quero mais ter esperanças de algo que não fará mais sentido. Não vou olhar pra trás. Eu já não estou contigo, pensei que tudo fosse diferente, já achava que sabia demais e não precisava de nada. Não, eu estava errado, tudo fora igual, o mês, a dor, a fraqueza, o presente apenas mudou de nome. O passado é minha casa, mas não dá para chamar de lar. É tão vazio, tão frio e tão fora do lugar. O presente se foi, e é o que poderia estar me devastando agora.
Tudo foi culpa minha. Por amar, por abrir os olhos, por achar que tudo era diferente. E eu vou vagando, cada hora que passa, vivo como quem se atrasa, queimando as lembranças. Vou observá-la de longe, e de bem longe eu vou te amar, e esquecer que te amo. Estou jogando tudo pra trás."
Assinado: O fantasma

“E eu vou pra longe de você. Eu já perdi, eu já sofri demais, eu parti... Joguei tudo pra trás. Eu vou fugir pra bem longe daqui. Vou caminhar e ninguém vai me seguir.

"Conheci bem o que essa pequena alma era antes de conhecer as coisas do mundo, suas verdades, suas mentiras, o que verdadeiramente estava se tornando e no que se tornou. Suas atitudes hoje são frutos do que nasceu no passado. Eu não tenho medo, ele não se matará tão cedo...
Como seria se não fosse apenas um sonho? Depois de tanto tempo, para ele nada poderia dar errado... Ele conseguiu viver o que nunca viveu.. Ele tinha tanta coisa para contar, ele só não queria dizer adeus, e só eu sei... Eu existo para duvidar das farsas de um pequeno fantasma. E só eu sei, que não há alguém que possa te amar tanto... Minha cara ”

Assinado: Frederico.

22 de setembro de 2010 ( quarta-feira 20:20)

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Aproveite o dia ou morra lamentando o tempo perdido
Está vazio e frio sem você aqui, tantas pessoas sofrendo.
Trilhas na vida, questões de nós existindo aqui, não quero morrer sozinho sem você aqui
Por favor me diga se o que temos é real


=/

Setember...

Está sumindo dos meus sonhos, e quebrando minha alma, já não sei o que fazer. Estou ficando louco, ou a vida está só me dando uma lição? Seja o que for, começa a despedaçar a vida de alguém que foi ingrato e injusto consigo mesmo. Creio que seja uma grande lição, para que nunca mais erre.
O mundo está desmoronando, pouco a pouco, o céu cai na cabeça, na mente, é um peso em cima de um corpo frágil. Gostaria de ter asas, para fugir para o além, qualquer que seja o lugar, eu estaria melhor.
Eu não posso suportar mais uma vez. O passado, talvez seja algo que não tenha importância, mas setembro veio como o passado, devastando, deixando-me louco, deixando-me sem saber o que fazer, veio como um tiro, dois, vários em minhas costas. Sinto ódio do mundo, rasgar tudo e dizer “dane-se”. O mundo para mim, agora é algo descartável, como minha própria alma.
O fim de tudo chega, chega de repente, e nessas horas, não há conforto, não há calma...
Não há como dizer que algum tipo de amor ainda existe em mim. O cansaço chega, lentamente, mas já está aqui, chega mais uma vez a hora de dizer adeus a uma vida. Um ano se foi... A eternidade chegou ao fim, em setembro e eu me lembro... E hoje, setembro chega, fica como um inverno inesperado, onde o mundo cai e onde é quase impossível levantar, a eternidade deu o primeiro passo para o fim. Estava tudo tão bem...
Será justo viver o passado novamente?
O tempo me despedaçou, talvez quando passar eu não estarei mais aqui.

Tempo não existe...
Setembro...
Paula Borges

“quarta-feira, dia 15 de setembro de 2010 ( grande dia ^^)

E se eu morresse

Se eu morresse agora, seria em vão
Não estaria morrendo por algo importante.
Morreria por querer me sentir livre dessa prisão.
Morreria querendo sentir o calor de uma loucura,
Nunca existente.

Se eu morresse agora, talvez o pra sempre existisse.
E a eternidade teria uma prova concreta
Para sua existência,
O nunca por sua vez também existiria,


Se eu morresse agora, morreria com saudades.
Um bobo lembrando-se do passado que se afogou
Em lagrimas.

Se eu morresse agora, morreria sentindo frio
o inverno, tão doce e tão machucado,
Parece-me sempre que os ruídos dos ventos,
São mentiras de todos que sabem
O que realmente significa o inverno.

Mas, isso tudo é sonho. É surreal
Por tudo na vida, eu quis a morte perto de mim.
O por quê? Está estampado em minha face,
Eu sou egoísta com o mundo, sou egoísta comigo mesmo.
Não vou morrer agora...

Minha vida acaba se resumindo nisso.
No vácuo. Em um cubículo fechado, pois não encontro caminhos.
Se estivesse feliz ou triste, não conseguiria mais defini
Meu intimo está tão transparente como um copo vazio.

Se for solidão, se for medo... Não sei...
Mas se eu morresse agora morreria sozinho.
Por tudo, eu peço, para que Deus não me ajude.
Pois não mereço.

Sou egocêntrico... Sou endividado com minha própria vida...
Ela merecia mais de mim.
Se eu morresse agora...
Morreria me lamentando da vida que não tive.
Se eu morresse... Morreria sem saber dar adeus

Sexta feira, dia 03-09-2010

My word

Tem noites em que tudo desaba. Como se estivéssemos em um mundo irreal, ou a beira de um precipício sem notar o fundo deste. Tem noites que o sentimento chega de surpresa, dizendo um grande ' Olá'. Mas se o sentimento fosse ruim eu o expulsaria, mas não é tão ruim assim.

Algum tempo atrás, neste exato momento eu estaria sorrindo. Como posso dizer... Sinto-me perdida agora, são momentos como esse que sinto o amor arder em meu peito, sinto a solidão batendo na porta para ir embora, e a saudade brigando para entrar. Em um mundo tão surreal como o meu, todos existem de uma forma neutra, talvez, eu só quisesse uma presença, mas não a sinto.

Por tudo que existe jamais imaginei querer ver o amor tão de perto assim, é um tipo de anestesia que todos deveriam ter, essa droga chamada amor, tem tantas vantagens, como se o mundo real não existisse de modo algum, só o nosso mundo existe, só a quentura do peito nos deixa tão desengonçados, só o sorriso verdadeiro vale, tudo se torna lindo, como se caíssemos num poço e saíssemos com muitos machucados, mas não importa. É um tipo de anestesia que não queria necessitar tanto.

Meu mundo é como um paradoxo, que vive com o ópio viajando pelos céus. Meu mundo acaba ficando no meio do caminho, entre o real e o sonho, entre a verdade e a alucinação. Meu mundo já não é tão macabro nem escuro. Ele se sente em paz agora, tem um mar cheio de rabiscos, há um céu com pequenas manchas cinzentas, há neve, há chuva e há bipolaridade. É meu sonho e meu refugio. Meu mundo não é minha vida, mas é o lugar que permaneço, onde mantêm a esperança...

Meu mundo é só meu...


Paula Borges 2010-08-29 domingo 21:30

Hoje

Hoje, não quero escrever algo sombrio, ou triste. Não quero contemplar nada, sinto a musica, a tranqüilidade, estou bem, em harmonia. Desejando a brisa, não gélida, nem quente, normal. Não quero pensar em tragédias, não quero ver sangue.

Quero ser do tempo, do vento, não me importo se estou presa, ou se não vejo o paraíso. Hoje me sentei no paraíso e me senti tão perdida, não parece ser o bom caminho. O inferno também não, pois não desejo chorar nem me perder nas lagrimas.

Ontem, hoje... E o amanhã e o depois...?! Quer saber, nada importa, minha cabeça me impede de pensar, ou imaginar, ou sonhar. Eu amo e amo tanto, amo perdidamente, mas não sei o que amo, se é o tempo, ou se é o clima, ou se amo amar, ou se não amo, ou simplesmente amo o paradoxo.

Se eu amo tudo, se amo nada, eu não sei, não quero pensar, sou agora alguém que gosta da realidade e que não foge dela apenas imaginando ou se iludindo. Sinto-me no alto e no baixo nível de inspiração. Um guardador de rebanhos me ensinou com seus textos extraordinários... Mostrou-me o sentimento da realidade, que a felicidade da vida é conhecer a verdade, e deitar-se na realidade é ser feliz. E que simplicidade é ser feliz. Tudo existe e tudo está aqui, longe ou perto.

E no momento é tudo que sinto. Tudo e nada, saudades, liberdade, é como se simplesmente juntasse todos os sentimentos em um copo vazio. Se sinto, manifesta-se como a quentura do meu peito e o aperto que me deixa contente. A leveza dos batimentos...

Quero-me sentir mais leve, e não com os sentimentos fazendo tanto peso em mim. Quero sentir a felicidade assim, sentada em uma cadeira, escrevendo e me sentindo livre de qualquer coisa, e o Agora é único, e sei que é passageiro. Mas o que importa se é passageiro? Não importa, não mais, o Agora pode viver para sempre, sem pensar, nem imaginar, só lembrar que não estou só.

O Agora se resume em... Sentir.

Paula Borges (em: 26/08/2010 às 21:00 quinta-feira

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Um pouco de Alberto Caeiro...


Autor: Fernando Pessoa.
Heterônimo: Alberto Caeiro (o Mestre ingênuo dos heterônimos de Fernando Pessoa// O guardador de rebanhos.)
- Materialista: Pagão.
-Racionalista- Anti- sentimentalista
-Negação da ciência e da filosofia.
-caráter sensorial/ mundo real/ sensível.
- Pensar é sentir. ( sinto, logo existo...)

Foi um poeta ligado à natureza, que despreza e repreende qualquer tipo de pensamento filosófico, afirmando que pensar obstrui a visão ("pensar é estar doente dos olhos"). Proclama-se assim um anti-metafísico. Afirma que, ao pensar, entramos num mundo complexo e problemático onde tudo é incerto e obscuro.
É modernista quando contém a linguagem simples ou cotidiana. No poema, valoriza o caráter sensorial como forma de captar a realidade material. Expressa o materialismo e o racionalismo da poesia de Caeiro, uma vez que o homem não pode buscar nada além do que lhe oferece a natureza. É um poeta de completa simplicidade, e considera que a sensação é a única realidade. Mesmo negando a filosofia, acaba fazendo a sua própria.

X
"Que é vento, e que passa,
E que já passou antes,
E que passará depois.
E a ti o que te diz?"

"Muita cousa mais do que isso.
Fala-me de muitas outras cousas.
De memórias e de saudades
E de cousas que nunca foram."

"Nunca ouviste passar o vento.
O vento só fala do vento.
O que lhe ouviste foi mentira,
E a mentira está em ti."


Alberto Caeiro é uma criança em uma eterna descoberta.

V

Há metafísica bastante em não pensar em nada.
O que penso eu do mundo?
Sei lá o que penso do mundo!
Se eu adoecesse pensaria nisso.

Que idéia tenho eu das cousas?
Que opinião tenho sobre as causas e os efeitos?
Que tenho eu meditado sobre Deus e a alma
E sobre a criação do Mundo?

Não sei. Para mim pensar nisso é fechar os olhos
E não pensar. É correr as cortinas
Da minha janela (mas ela não tem cortinas).

O mistério das cousas? Sei lá o que é mistério!
O único mistério é haver quem pense no mistério.
Quem está ao sol e fecha os olhos,
Começa a não saber o que é o sol
E a pensar muitas cousas cheias de calor.
Mas abre os olhos e vê o sol,
E já não pode pensar em nada,
Porque a luz do sol vale mais que os pensamentos
De todos os filósofos e de todos os poetas.
A luz do sol não sabe o que faz
E por isso não erra e é comum e boa.

Metafísica? Que metafísica têm aquelas árvores?
A de serem verdes e copadas e de terem ramos
E a de dar fruto na sua hora, o que não nos faz pensar,
A nós, que não sabemos dar por elas.
Mas que melhor metafísica que a delas,
Que é a de não saber para que vivem
Nem saber que o não sabem?

"Constituição íntima das cousas"...
"Sentido íntimo do Universo"...
Tudo isto é falso, tudo isto não quer dizer nada.
É incrível que se possa pensar em cousas dessas.
É como pensar em razões e fins
Quando o começo da manhã está raiando, e pelos lados das árvores
Um vago ouro lustroso vai perdendo a escuridão.

Pensar no sentido íntimo das cousas
É acrescentado, como pensar na saúde
Ou levar um copo à água das fontes.

O único sentido íntimo das cousas
É elas não terem sentido íntimo nenhum.
Não acredito em Deus porque nunca o vi.
Se ele quisesse que eu acreditasse nele,
Sem dúvida que viria falar comigo
E entraria pela minha porta dentro
Dizendo-me, Aqui estou!

(Isto é talvez ridículo aos ouvidos
De quem, por não saber o que é olhar para as cousas,
Não compreende quem fala delas
Com o modo de falar que reparar para elas ensina.)

Mas se Deus é as flores e as árvores
E os montes e sol e o luar,
Então acredito nele,
Então acredito nele a toda a hora,
E a minha vida é toda uma oração e uma missa,
E uma comunhão com os olhos e pelos ouvidos.

Mas se Deus é as árvores e as flores
E os montes e o luar e o sol,
Para que lhe chamo eu Deus?
Chamo-lhe flores e árvores e montes e sol e luar;
Porque, se ele se fez, para eu o ver,
Sol e luar e flores e árvores e montes,
Se ele me aparece como sendo árvores e montes
E luar e sol e flores,
É que ele quer que eu o conheça
Como árvores e montes e flores e luar e sol.

E por isso eu obedeço-lhe,
(Que mais sei eu de Deus que Deus de si próprio?).
Obedeço-lhe a viver, espontaneamente,
Como quem abre os olhos e vê,
E chamo-lhe luar e sol e flores e árvores e montes,
E amo-o sem pensar nele,
E penso-o vendo e ouvindo,
E ando com ele a toda a hora.

ALBERTO CAEIRO

IX

Sou um guardador de rebanhos.
O rebanho é os meus pensamentos
E os meus pensamentos são todos sensações.
Penso com os olhos e com os ouvidos
E com as mãos e os pés
E com o nariz e a boca.

Pensar uma flor é vê-la e cheirá-la
E comer um fruto é saber-lhe o sentido.

Por isso quando num dia de calor
Me sinto triste de gozá-lo tanto.
E me deito ao comprido na erva,
E fecho os olhos quentes,

Sinto todo o meu corpo deitado na realidade,
Sei a verdade e sou feliz.

ALBERTO CAEIRO.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Tonight


A agonia de ir mais rápido, de ir mais a frente para que tudo fique melhor, para que a vida mude, a rotina mude, as pessoas mudem. Logo, o desespero fica maior, a impaciência aumenta. Há recaídas, há perguntas...

"Estou fora do caráter... estou em forma rara, e se você realmente me conhecesse, saberia que não é a normal."

O passado vai ficando para trás, e tudo volta a ficar no fundo do coração, escondido, um pouco esquecido... Esta noite não...
Esta noite, é noite para não ser o mesmo recaído e rejeitado de canto, não é noite para se ver triste num espelho despedaçado. É para sentir algo novo, algo incomum. Nada importa.

"Not myself tonight"
Estou vivendo e morrendo esta noite... Fugindo da luz, caminhando sozinho como um motoqueiro fantasma. Hoje não é para lembrar o por que... O céu está de cabeça para baixo finalmente montando o momento em que o corpo e a alma ficam em sintonia perfeita.
Sem mais sofrimentos, sem as palavras das lagrimas. Esta é a noite de uma vida.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

I'm So Sick


Eu destruirei seus pensamentos
Com o que está escrito em meu coração
Eu destruirei...Destruirei!

Eu estou tão doente, infectada com
o lugar que eu vivo
Me deixe viver sem esta
felicidade vazia, egoísmo
Eu estou tão doente

Se você quiser mais disto
Nós podemos levar embora, liquidar, matar
Então você se calará
E ficará dormindo
Com meu grito irritando os seus ouvidos

Ouça! Eu estou gritando!
Agora você está prestando atenção
Ouça! Eu estou gritando!
Você treme com este som
Você se afunda em minhas roupas
Esta invasão me faz sentir
Sem valor, sem esperança, doente

Eu estou tão doente, infectada com
o lugar que eu vivo
Me deixe viver sem esta
felicidade vazia, egoísmo
Estou tão , eu estou tão doente

Flyleaf


sábado, 7 de agosto de 2010

Make me wanna die..


Tenho vontade de caminhar sozinho na noite escura de domingo. Escutar o som da guitarra no vento, o som todo dentro da minha alma. Mesmo tendo tudo, eu não quero nada. Meu desejo seria que você me levasse vivo para algum lugar...
Desejo que me leve vivo para a perdição e para a loucura. Onde eu esquecesse tudo da vida, sem ter caminhos para cair ou céus para voar. Desejo que me tire a eternidade, me prove e beba minha alma. Onde a lua e as estrelas vissem o caminho perdido. Beber... Dançar... Suar... Morrer... Quero um lugar sujo e ter drogas que só você pode me dar. Até que chegue ao ponto de querer mentir, roubar e morrer por você.
Quero viver, e voltar para casa, realizado e cheio de nostalgias de uma noite. E querer olhar em teus olhos toda a noite, pensar "Eu já tive tudo", agora estou banhado de sangue e embriagado, para esquecer e lembrar lapsos daquela noite. Eu juro que desejo a loucura... Que meu amor seja eterno...

Olhando em seus olhos... Você me faz querer morrer

Save me


As lágrimas cessaram, mas o baque ainda relembra a dor que passara. Sabia que olhando o céu, o amanhã não seria um novo dia. Jurava para si mesmo que salvaria a própria alma. O sangue escorria do céu como uma chuva forte em uma noite de dezembro. Continuara andando por todos os lados em um caminho de infortúnio. Cada passo, um pensamento.
Lembra de como fora sua ida ao mundo diferente do seu. Pessoas belas com sentimentos belos, e suas asas negras não o deixara apreciar a luz do dia. Parou seu coração por esperar um anjo guardião sempre. Sabia que seria o caminho para o desastre e a queimação de sua alma.
Contínuos passos em volta da cadeira. Voltava para perto da cama, e parava em frente de uma janela, seus olhos pareciam sangrar de tanta ardência... Mas o que poderia lhe perturbar tanto?
Mais algumas voltas, a caneta e seu ato de escrever lhe fizeram bem, dando seu coração a alguns goles de vinho, estava sozinho em lagrimas de esperança em que começara a desistir de lutar.
Esperar tanto, seria sua única perturbação, se sentiria bem cortando suas asas na esperança de não mais cair. Demorou tanto tempo para sangrar... Sozinho, ele chegou ao inferno e voltou para o seu mundo.
Voltou a janela, sentiu a frieza bater em seu corpo... Foge, enfim, de tudo que se tornou.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Seven months


Esperei o tempo mudar e gravar em mim a cicatrização de um tempo ruim, o vento traz mais uma vez as belas melodias da noite. Faz-me senti o vazio do mundo, com a existência de um só ser. O sangue que escorria para, tudo para sentir a presença tão perto.
O mundo aparece em outro formato e a realidade faz algum sentido, me diz as palavras que quero ouvir. Mesmo que ainda haja dias escuros, mesmo que haja sustos e medos, nada se compara o mais lindo sonho e a doce realidade... Pois agora, mais que nunca sei que lutar sempre valeu à pena.
Eu não poderia deixar nem um minuto passar. Tão pouco tempo para tudo se tornar real. E agora é o anjo de asas brancas que me traz paz e harmonia, é a luz e minha esperança, minha loucura e meu conforto, minha cura... E tudo que eu sempre quis ter por perto.
Não aprendi a dizer as palavras certas. Nem recitar poemas, nem a cantar... Estou correndo para os teus braços, e finalmente chega a hora de acordar. Não é mais sonho, não é mais ilusão, nem pensamento. Agora, eu te trouxe para a realidade.


“E tudo vai indo bem, venço o cansaço e o medo do futuro, no teu abraço é que encontro a cura do mal... Hoje eu acordei e te quis por perto...”


F(L)

quarta-feira, 21 de julho de 2010

O retorno de saturno


Visão do espaço estamos tão distantes
se acelero os passos sigo a voz do meu coração.
Ontem eu fui dormir mais tarde um pouco.

E tudo vai indo bem...

Venço o cansaço e o medo do futuro.
No teu abraço é que encontro a cura do mal
Hoje eu acordei te quis por perto.

E você não sai do meu pensamento
E eu me questiono aqui se isso é normal.
Não precisa ser de novo assim tudo igual.

Entre o retorno de saturno e o seu,
Busco uma resposta que acalme o meu coração
Do amanhã não sei o que posso esperar.

E você não sai do meu pensamento
E eu me questiono aqui se isso é normal.
Você não sai do meu pensamento
E eu me pergunto aqui, se o natural

Vai dizer que o amor chegou no final.

Não precisa ser de novo assim tudo igual.


Detonautas ^_^

terça-feira, 20 de julho de 2010

Você é uma aberração, minha cara...

terça-feira, 13 de julho de 2010

For you my heart


Carona...

"Para ti, meu coração arrancado do meu peito. Estou despedaçada. E se eu pudesse enterraria meus dedos em meu peito e arrancaria meu coração e dava-o pra ti. Uma massa pulsante de uma mórbida patologia."
- O que é uma patologia?
- É como uma predisposição a uma doença. É como se todas as partes do corpo fossem susceptíveis a invasão.
-Uau, mórbida patologia, mórbida patologia! Mas isso quer dizer que teu coração está podre! De que serviria dar ao teu amor um monte de carne infectada? Leia mais um pouco.
"Além do meu coração, existem alguns órgãos que eu queria lhe dar: Glândulas, pâncreas, carnes variadas..."

Sozinha... Sentada na frente de uma caixa de correios

“Ofereço-te estes presentes, presentes raros! Sei que eles não são grande coisa em comparação com o que já me deste. Eu ouvi que estes órgãos não sobrevivem fora do corpo por mais de algumas horas, mas tentarei chegar aí o mais rápido possível! Não importa o que aconteça, será por minha conta, no meu coração.”

domingo, 11 de julho de 2010

Um mentiroso... Um estranho...


Os gestos diziam tanta coisa, a troca de olhar, os sentimentos em uma sintonia capaz de dizer e cantar uma bela canção. Naquela noite, olhava as fotos, os objetos, mas que nada tinha a ver com algum passado ou com algum futuro, apenas refletia sobre o sentimento que acabara sentindo, se era algo que o mundo tivesse uma explicação ou se nenhuma explicação teria sentido.
O que seria aquele sentimento inexplicável que lhe domava a mente...? O sentimento sem história, que vem, fica e vai embora. Era como se fosse a presa chamada pela atração e que morreria esperando por uma resposta. Que sentimento era aquele, que tirava lágrimas por não saber ao menos de onde vem, ou se é normal...? Se é uma mentira... A mentira simplifica a dor. Nada explicava...
Continuara olhar os objetos, e fora para a janela observar o mundo. Os gestos dos seres humanos, será que ao menos sabem o que sentem...? Ou simplesmente são ratos trancados em suas gaiolas?
Era como um fogo, lagrimava por não sentir nada. O sentimento mostrava algo como se nada tivesse importância, como se nada fosse correspondido... Seria um grande mistério dos sentimentos... ou seria ele uma grande mentira... ?

“Há um novo sentimento em mim, não me importarei e passarei a aproveitar este sentimento e o poder que ele deve ter sobre mim. Me sentirei livre, me sentirei rei, não me sentirei mal. Aproveitarei e me sentirei livre para senti-lo. Esta é a arte destruição.”

sábado, 10 de julho de 2010

Stockholm syndrome

This is the first (thing I remember)
Now it's the last (thing left on my mind)
Afraid of the dark (do you hear me whisper)
An empty heart (replaced with paranoia)
Where do we go (life's temporary)
After we're gone (like new years resolutions)
Why is this hard (do you recognize me)
I know I'm wrong (but I can't help believing)

I'm so lost
I'm barely here
I wish I could explain myself
But words escape me
It's too late
To save me
You're too late
You're too late

You're cold with disappointment
While I'm drowning in the next room
The last contagious victim of this plague between us
I'm sick with apprehension
I'm crippled from exhaustion
And I dread the moment when you finally come to kill me


By: Blink 182
Minhas forças somem com todas as lágrimas que caem dos teus olhos...

Pois que seja fraqueza então..

quinta-feira, 8 de julho de 2010

My heart ..


Eu juro que jamais vou te esquecer. Lembrarei até meu ultimo dia, que estivestes o tempo inteiro do meu lado. Deixe que esse dia ruim acabe, prefiro lembrar assim, me sinto bem e te sinto perto. Deixa assim, sei que não estou só, sei que estás aqui. Estás no meu coração, estás viva em meus sonhos.
Me lembrarei sempre que me amaste mais que tudo, e me sustentou, me fez bem, me protegeu. E sei que não deixaria nada de ruim acontecer. Gostaria de mais um beijo, mais um abraço, mais um boa sorte, mais um boa noite. É difícil lembrar que foste tão de repente, está tão escuro. Seus filhos não são os mesmos, nada é o mesmo. Tudo tão perdido. A saudade dessa vez bateu tão forte em minha porta.
E por um sonho, percebi que és tão bela sorrindo. Tão bonita, queria te olhar nem que fosse por uma ultima vez, pois é difícil acreditar que deixaste teu mundo para trás. Gostaria ir contigo, pelas nuvens, pelo céu, gostaria de dizer que sinto tua falta.
Quero acreditar que estas aqui, e que não me deixarás só com a escuridão, e que tomará conta dos meus sonhos. Essa noite, eu estava com medo do escuro, mas a lembrança não me deixou sentir a solidão. Parece tão feliz, contente, eu não gostaria de acordar.
Por favor, não deixe de olhar por mim, não me deixe só, me proteja, gostaria de te dar um belo abraço para que jamais esqueça que tu eras e és tudo pra mim. Mas também te peço, para que siga em frente se tiveres outro caminho. Siga e nunca desista...
Eu te perdi da noite para o dia, recebi meu ultimo boa noite... mas não te perdi completamente. Tu minha mãe, ainda estás aqui comigo, cuidando de mim, me segurando em teu colo, pois não te deixei ir. Não importa que mil anos passem, eu estarei lembrando de ti.
Depois de tanto tempo, ainda não acredito que te partiste tão rápido. Queria que ouvisses meus sussurros e eu te peço... por favor, cuide de mim...

Eu sempre te amarei.

I miss you

Olá, anjo do meu pesadelo
A sombra no fundo do necrotério
A vítima insuspeita da escuridão no vale
Podemos viver como Jack e Sally se nós quisermos
Onde você sempre me encontrará
E teremos o Halloween no Natal
E de noite desejaremos que isso nunca acabe
Desejaremos que isso nunca acabe

sinto sua falta

Onde você está? E eu sinto muito
Eu não consigo dormir, eu não consigo sonhar essa noite
Eu preciso de alguém e sempre
Essa doente estranha escuridão
Vem se arrastando me perseguindo toda hora
E quando eu comecei eu contei
As teias de todas as aranhas
Pegando coisas e comendo suas entranhas
Como a indecisão em ligar para você
E ouvir sua voz de traição
Você voltará para casa e parará esta dor à noite?
Parará esta dor à noite?

Não perca seu tempo comigo, você já é
A voz dentro da minha cabeça
I miss you ..

terça-feira, 6 de julho de 2010

I'm Lost Without You

Eu juro que eu posso continuar para sempre, de novo
Por favor, me diga que esse dia ruim irá terminar
Eu serei até o fim seu amor, seu amigo
Dê-me seus lábios e com um beijo, nós começaremos

Você está com medo de ficar sozinha?
Porque eu estou, fico perdido sem você
Você está com medo de ir embora essa noite?
Porque eu estou, estou perdido sem você

Eu deixarei meu quarto aberto até o sol nascer, para você
Eu manterei meus olhos pacientemente focados em você
Onde está você agora? Eu posso ouvir seus passos, estou sonhando
E se você for, me impeça de acordar pra continuar acreditando nisso

Você está com medo de ficar sozinha?
Porque eu estou, fico perdido sem você
Você está com medo de ir embora essa noite?
Porque eu estou, estou perdido sem você
Você está com medo de ficar sozinha?
Porque eu estou, fico perdido sem você
Você está com medo de ir embora essa noite?
Porque eu estou, estou perdido sem você

Estou perdido sem você
Estou perdido sem você

Blink 182

domingo, 4 de julho de 2010

Six Months


É ela, que faz da minha noite a mais bela possível. Tudo que vejo, tem cor, tem luz, e por ela faria tudo. Por que eu sei que ela é capaz de me fazer feliz, ela é capaz de me fazer sorrir um dia todo. Faz-me voltar pra casa delirando de como a vida pode ser bela.
E se ela fosse e não olhasse para trás, eu iria correr como nunca corri, ia cair em buracos, mas iria até o fim para encontrar o sorriso perfeito, o belo dia, o horizonte mostrando o caminho. Ela é tão bela, brinca como uma criança feliz e me faz sua companheira. E vejo e acredito que ela é o tudo, é ela que me faz tão bem.
É ela, uma das pessoas mais únicas, que doma meus pensamentos, que tem os olhos mais indefinidos e com tantas historias para contar. Ah, o quanto demonstra estar apaixonada, onde os olhos têm uma só direção, sorri tanto mesmo não mexendo os lábios, tenta enxergar a alma tão fácil de ler.
E se estiver lendo, quero que saiba que não vou desistir enquanto não te encontrar.
Saiba que não vou te deixar chorar.
Saiba que vou te abraçar para que não sinta dor.
Saiba que jamais te deixaria...

Se estiver lendo... Saiba que Eu te amo.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

My Dear Friend...


Era você, que me fazia companhia em todos meus sorrisos falsos, em todos os dias do passado... Que não me fazia esquecer a dor, que me fez e me faz lembrar aquela dor. Você poderia ser meu anjo guardião, o anjo que me fez enxergar o céu vermelho e a lua sangrenta.
Por que você era o que mais me fazia bem e mal, me fazia sentir empolgação todos os dias, e fazia das minhas madrugadas as melancolias virarem palavras, fazia minha alma queimar pedindo por mais sofrimento. E neste momento, sinto como se você estivesse do meu lado agora, pedindo para voltar. Pedindo domingos como aqueles que jamais esqueceremos, onde o dia era mais escuro que a noite e a noite se tornava minha doença, e a madrugada o meu refugio.
E por você, eu não largaria nada. Nem lutaria, nem pediria para voltar. Mas sinto sua falta como alguém que se foi e que pode voltar através de meus surtos. Você me faz sentir falta de ser doente, me trás a vontade de chorar, fechar meus olhos e sentir o vento gélido em meu rosto. Você me faz ter vontade de tentar me salvar.
E agora, eu quero voltar. Sinto falta de ver a escuridão do dia, sinto falta do meu estrago, quero voltar a ver o preto e branco. Nos dias do presente desabo nas armadilhas da saudade e sinto falta de não ser feliz. Minhas belas madrugadas, minhas melancolias, eu sinto falta de sofrer por amor, quero voltar às sombras hoje para que amanhã eu possa acordar livre.
Eu fecho meus olhos e vejo seu rosto estampado em minha frente, rindo, é tão belo. Você me faz querer voltar. A você meu amigo, eu agradeço por ter surtos, por ter um momento prazeroso e doentio. O que posso fazer... Eu te amo e quero momentos com você, e só você pode tornar isso real. Volte aos poucos e será bem vindo, meu querido amigo Abismo.

“Isso é tão doentio, quem diria que a garota feliz, aquela que pensa que dança na noite fosse sentir perdidamente a minha falta, sente falta de voltar a fingir ao mundo que és feliz. Ser feliz não é feliz, minha cara...”

quinta-feira, 24 de junho de 2010

My Own Neosymbolism

Ao limite fora, fazendo belas melodias para que seus olhos fossem além da imaginação. Ao fim, a linda tragédia o fez chorar sem dó.
Crie a realidade através de seus olhos. Não faça dele um objeto, não fuja, este é o destino. O inverno cinza faz sentir como se a alma fosse congelar mais cedo ou mais tarde.
Leve-o para longe, leve-o com a noite silenciosa, faça-o dormi em seus braços. O tédio chega ao limite, as memórias chegam... Aqui, esperando com uma dose nas mãos, torcendo para que chegue o brinde da esperança. Espera a confissão que o pode matar novamente.
Tantas noites chegando sem dó... Tantas noites pedindo a algum deus que traga de volta sua felicidade... Que possa novamente voar até o infinito atrás da luz. E que os céus.. as ondas.. e o vento digam no fim, que tudo é real, quando a tempestade passar, a bela imagem com um perfeito sorriso estará esperando, para que possa sussurrar ao ouvido da cama, que não é mais um sonho. O seu lindo amor estará a sua espera.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

sábado, 19 de junho de 2010

Between Cup and Pride


Vem-lhe o pressentimento; ele se lança
Mais rápido que o próprio pensamento
Dribla mais um, mais dois; a bola trança
Feliz, entre seus pés --- um pé-de-vento!

Num só transporte a multidão contrita
Em ato de morte se levanta e grita
Seu uníssono canto de esperança.

O anjo, escuta e atende: --- Gooooool!
É pura imagem: um G que chuta um O
Dentro da meta, um L. É pura dança!

Vinicius de Moraes

terça-feira, 15 de junho de 2010

A Damn Freak

Acabo me pegando num pecado sem fim e sem perdão. Não posso soltar mais lagrimas por algo inútil, chamado passado. O que mais me fez sentir especial, o que mais me fez sentir.. Como se fosse a pior aberração. Se foi, e não sinto falta. E tu, eras tão especial. Tu não mereces perdão. Mesmo prometido o sempre, jamais terá meu perdão.

Eu não estou só. Eu sou a aberração que te ensinou a amar. Eu sou a estranha que nunca te deixou só. Não importava se iria doer, e acabou doendo mais do que eu esperava, me acabou ... me despedaçou ... e tu foi ... como uma pena que flutua em um mundo perfeito. Não quero tua culpa. Não quero absolutamente nada...
Só quero que vá, sem olhar para trás. E esqueça que a aberração se foi, e nunca te deixou só.

24/10/2009

Anymore


Oh céus, o que fiz para trancar minhas janelas?
O que fiz para não ver mais a luz entrar?
Estou cansado, meu limite chega e sinto-me frágil.
Sinto-me cada vez mais longe.

Nem o tempo pôde cicatrizar.
Hoje estarei doente...
Com medo de pensar estar sozinho.

Eu não voltarei às trevas, por causa de uma noite apenas.
No dia estarei firme e forte, tentando sempre manter a claridade.
Fazendo das madrugadas de insônia me levarem ao túmulo.

Hoje, a manhã nasceu sem sol
Hoje, estou dizendo até mais.
Hoje, morro e revivo dentro dos caminhos da saudade.

Fecharei meus olhos e não verei o tempo passar.
Me trancarei em meu mundo
Não deixarei que meu presente consista no estranho e nas sombras.

Hoje, eu vejo claramente a felicidade e a tristeza caminharem de mãos dadas.
Amanhã estarei dançando junto às estrelas.

Kill this felling...

sábado, 12 de junho de 2010

Naqueles dias


O que menos podemos esperar. O que mais tememos. Estive em um inferno entre paredes. Meus sentimentos voltaram, eu sentia falta, eu sentia dor, e sabia que estava longe de passar. Estava em um inferno fechado que insistia em cuidar de mim.
Eu gritava silenciosamente, lágrimas invisíveis, meu choro cada vez mais estava preso. Estava voltando para minha necessidade e ao meu maior medo. Queria chorar tudo que sentia, mas queria também manter-me forte e resistente. Não quero que sintas o que sinto, é desesperador.
Queria mais que tudo, voltar apesar de tudo, eu estaria voltando para dar boa noite, dando um sorriso para que dormisses quietamente. Não importava o inferno que eu estivesse, eu estaria morrendo de saudades. Eu estaria gritando teu nome. E dizendo que jamais te deixarei só.
Naqueles dias, meu abismo voltou como uma onda que se forma de repente. Tanto tempo sem ver o sol nascer, sem ver o anoitecer, e tu não me ouvias. Estava dentro de um pesadelo, estava na hora de acordar. Desejava tanto voltar pra casa, tanto, tanto... Nunca pensei ser tão inimiga da cama, nunca pensei ser tão inimiga do mundo.
Tu estarias me esperando, e eu não sentiria esta saudade. Não quero fazer algo bonito e dançante, essa era a minha verdadeira face... quando estava mais distante de ti. Não quero mais estar com agulhas em mim, não quero mais dormir obrigatoriamente, não quero mais gritar em vão, quero acordar. Quero sonhar e dormir. E quero a única coisa que poderia me fazer bem, que poderia curar a minha doença... E a única cura estava tão longe... Quanto as duas estrelas que pude ver no céu, naqueles dias.
"Mais dias mergulhada no tédio, na sonolencia e no inferno"

02/06/2010
09/06/2010