terça-feira, 24 de novembro de 2009

Sweet dreams


E seus olhos brilhavam com a minha maldita presença. Eu dizia boa noite para quem nos deixava
-Boa noite, durmam bem- disse ela fechando a porta.
Ficamos a sós, o frio na barriga, a vergonha, domava nossos corpos. Mas o desejo de sentir aquele corpo junto ao meu, era maior que qualquer coisa.
-boa noite...
-boa noite...
Algo me parava, tinha que perguntar, olhei nos olhos daquele ser, eu com um sorriso constrangedor e ela com um olhar que esperava algo de mim... Eu disse...
-queres dormi comigo?
-Claro.
Deitei na cama, o frio estava ali, mas o calor daquele corpo ao meu lado me fazia bem, me confortava. Conversamos, nossas palavras, nossos gestos e nossos sorrisos tornavam a noite cada vez mais bela, tornavam aquela noite de céu vermelho em uma noite bela e infinita. O sorriso perfeito me fazia ter a sensação que meu coração batia novamente, eu estava viva... Quando então ela ficou seria, nossos olhares se encontravam, sorrisos que agradeciam pela presença uma da outra.
Tão espontâneo era, tão lindo e tão doce. Virei, ela estava lá. Estava amanhecendo, quando então nossos lábios se tocaram. A sensação era de um vazio, não existia mais nada além de nós. Tão silenciosa aquela noite, a respiração foi ficando mais forte, nossas pernas entrelaçavam. Não agüentava mais, queria fazê-la cada vez mais feliz... Então, paramos, olhei em seus olhos, eu sorri e falei alto...
-Hoje é a noite...
-Noite de que??
- A noite que um dia prometeste ser só minha. - falei em seu ouvido.
Ela me abraçou, me abraçou tão forte, como se eu também fosse dela e simplesmente me entreguei, naquele momento ela soltou três pequenas palavras...
-Eu te amo.
Estava tão ofegante assim como eu. Ela me amava e eu... amava e agradecia por aquele momento tão lindo.
O dia estava amanhecendo, o céu estava azul escuro, mais ou menos 6 da manhã, estávamos juntas como uma só, nossas almas estavam em harmonia. Nossa respiração aos poucos voltava ao normal, o carinho aumentava, nossos olhos já se fechavam de sonolência. O silencio era maior agora.
Não esquecerei aquela imagem. A imagem que ela me tinha em seus braços, me tinha como se eu fosse uma criança no colo. Por fim... Meu ultimo suspiro antes de entrar em um sono profundo...
- .. Eu te amo.
Ela soltou um ultimo sorriso... Dormimos juntas, abraçadas e de mãos dadas...

Um vazio, um nada, uma escuridão? Não, não pode ser. Onde está ela??? Abro os olhos, o sol chega e um vazio do meu lado... mãos a cabeça, olhos lacrimejando e um grande lamento... –Por que??
Foi apenas um sonho...

Nenhum comentário:

Postar um comentário