terça-feira, 27 de outubro de 2009

Me matar poderia ser um pouco mais fácil...


Achei que poderia me sentir segura em teus olhos.
Percebi que são os únicos que me fizeram sorrir, mas sabia que eram os únicos que podiam me matar...
Achei que poderia ter um refúgio e uma cura..
Mas vi que..o que eu mais amei era a única coisa que eu tinha a temer.

Precisava dormir por algum tempo
Para não ter mais aquele medo
a dor.. a impaciência
e continuar vendo todos os dias tão escuros quanto a noite..
Vendo a tristeza presente todas as manhãs e todas as noites..
Todos os dias.. Batendo em minha porta,
Sempre..
Vendo como o tempo pôde ser tão traiçoeiro
(...)
Vendo também o quanto dói desejar..
Por não ter.. Sofria..
Por ter tudo em minhas mãos.. e tendo medo de perder..
Sofria mais ainda..

Me matar poderia ser um pouco mais fácil...
Não queria ser tão resistente, nem persistente..
Apesar de tudo..
Só não queria que doesse tanto...

Me matar ... Poderia ser um pouco mais fácil

E desta vez.. Eu lamento, estás livre, livre para voar, livre para fazer escolhas que valem a pena.
Não desejo que sofras, nem que chores...
Seja feliz...
Vá.. e não olhe para trás...
E um dia me terás como uma lembrança vaga..

E por mais que doa, eu ainda estarei olhando por ti...

Estas são minhas ultimas lágrimas antes de ir.

Não há calma, nem estresse...
Não há presença.. Nem distancia..
Não há mais calor... Nem amor...
Não há mais céu.. Nem esperança.
Apenas um abismo...Apenas o frio e uma alma começando a congelar.

Adeus, meu anjo.

"E por você eu levo tudo
Mas você não é minha..
Adeus"

Nenhum comentário:

Postar um comentário