segunda-feira, 3 de agosto de 2009

“A única coisa que prepara uma criança para o futuro é ela poder ser criança”

Uma garota de treze anos hoje já não vive a infância como nos velhos tempos. Hoje ela pode ter até cinco namorados e um estilo de vida.
Gabriela não teve infância. Seu dia a dia era ao lado da prima, Amanda. Tendo assim como sua única amiga, seus pais não eram muito rigorosos, não ligavam muito. Também não lhe davam amor nem carinho, enchiam o dia de Gabriela. Cursos, aulas e estudos, um tempinho para brincar com a prima, mas acabava dormindo nas próprias brincadeiras.
Tempo depois a família foi separada por brigas. Amanda e Gabriela se separaram. As brigas entre os seus irmão aumentaram e ela sempre levava a culpa. Por horas ficava em seu quarto estudando e no computador, lá era seu único refugio, lá existiam pessoas que a entendiam. Aos doze anos Gabriela entrou em depressão profunda. Começou a usar drogas. Enchiam-na de remédios. Deixou os cursos, não estudava mais, sua memória fora afetada. Não queriam trabalho, apenas se livrar. Para eles era apenas uma transição para a adolescência.
Foi afetada, destruída pela falta de carinho dos pais, pela falta de compreensão. Se interessou pelo estilo gótico, onde expressava os sentimentos pelo que vestia. Agora, chamada de anormal pelo seu estilo. Mas nada era culpa dela. Ela era apenas uma criança.
Hoje em dia, uma garotinha aos treze, tem conceitos e pensamentos de alguém de 17 anos. Por um lado é trágico como o mundo evolui tão rápido.
Não era moda. Apenas um lado ruim que os pais demonstram sem querer.

13/06/09
Ps:. Apenas uma redação de colégio ;)
Nota = 10 ^^

Um comentário: