sábado, 22 de agosto de 2009

'Till we die.


Olha por todos os cantos.. Eles sorriem..
Ele chora silenciosamente...
Pede e suplica pelo fim..
Seres que amados no passado... Agora, não são nada.

Não consegue olhá-los..
"Vamos finja ser feliz"

Cansa.. Simplesmente..
Tentar voltar pra casa com alguma esperança..

Sua insônia nunca acaba... Virou um morto vivo..
Simples morte com pernas andantes..
Condenado..
"ó meu anjo caído.. por favor.. venha e me leve deste fim maldito"

Na madrugada das 4 horas da manhã..
Seu sangue derramava em sua lua amiga.. Rasteja por socorro..
Seu sangue não para de escorrer..

Fechando os olhos..
Esperando que as horas passem..
Esperando que a luz do céu da manhã... Tão azul.. Tão claro..
Mas para ele luz ali.. Não há..

Só vê um imenso vão negro..
E de onde espera luz se nada tem cor.. ?
Espera dos céus sombrios... A única esperança que lhe resta..

A esperança... Que algum dia.. Todos nós morreremos..

2 comentários:

  1. Essa coisa da solidão, da ausência de vida...
    Isso de verdade mexe comigo, inda mais pq sou diferente, e isso nos transforma em mortos vivos no meio da multidão.
    Belo post, tá show.

    ResponderExcluir