sexta-feira, 5 de junho de 2009

Sentia-se um vazo cheio de tristeza...


Não era a solidão...
Mas sentia-se só, isso não o afetava mais.
Não era o fracasso, estava tão forte.
Mas sentia-se fraco, isso o abatia.

Os goles de vinho não o faziam a mal
Era excessivo, mas aqueles goles já não definiam seu humor.
Continuamente, definitivamente... Sentia-se um caco.
Suas lágrimas desciam não fazendo nenhum sentido.

Sentado em uma lapide...
Olhando as folhas secas caírem, a escuridão tomava conta do lugar
Tão tranqüilo. A solidão lhe fazia companhia.
O silêncio queria se tornar choro, gritos. Seria trágico.
Era apenas um momento de reflexão.

Não faz sentido pensar no fim. Pensar no futuro, pra que?
Apenas para estar mais próximo do fim? Por que não viver o presente? Por que não viver intensamente enquanto tudo está bem?
Essas perguntas... Todas têm respostas. Não está na boca de alguém. Ninguém.
Está em mim.

Só não quero enxergar.

“Seria bonito se não fosse trágico”
03/06/2009

3 comentários:

  1. Pois bem...
    Exagerados são os que sentem mais, é conseqüência da poesia
    gostei do seu post! Sensível no sentido melhor da palavra.

    ResponderExcluir
  2. Tem um prêmio pra vc em meu blog, dá uma olhada!
    abraços!

    ResponderExcluir