domingo, 19 de abril de 2009

Minha vida é como dezembro.


Fria...(27/02/09)
É o fim de tudo, talvez o fim de tanto sofrimento.
Tão difícil de se livrar.

Queria poder me refugiar em suas lagrimas,
Pois um dia elas secam e deixam de existir.
Eu não consigo dormir...
Simplesmente por que penso neste abismo chamado vida.

Peço-lhe ajuda meu caro amigo.
Tire minha alma deste lugar.
Ela treme e sente frio,
Apenas um vulto... Apenas a morte com pernas andantes

Enfie uma estaca em meu peito
Veja meu sangue escorrer... Sinta o cheiro...
Sinta o gosto, e vá sem olhar para trás.
Siga e deixe-me partir com minhas asas quebradas.

Acredite, eu irei, mas não esquecerei seus olhos
Que sempre aqueceram minha alma, e acomodaram...

Tire-me deste mundo cheio de dor, por favor, meu amigo.
Estou fraca, fingindo a minha felicidade
Eu simplesmente desisto...
As flores que um dia nasceram em mim já estão mortas...

E lhe peço meu caro amigo...
Não me esqueça.


R.O ^^

Nenhum comentário:

Postar um comentário